gonçalves cordeiro

CORRUPÇÃO NO DETRAN – Desembargador Zuquim nega pedido do MP para prisão dos deputados Botelho e Mauro Savi e outros investigados por corrupção na Operação Bereré. LEIA PEDIDO DO MP

Marcos Bulhões


CRIME ORGANIZADO
MPE e Polícias Civil e Militar deflagram “Operação Bereré”

Foi deflagrada nesta manhã a Operação Bereré, que visa dar cumprimento a mandados de busca e apreensão expedidos pelo Tribunal de Justiça do Estado de Mato Grosso. As investigações tiveram início na Delegacia Especializada em Crimes Contra a Administração Pública e Ordem Tributária (DEFAZ), sendo que as medidas cautelares foram requeridas pelo NACO Criminal (Núcleo de Ações de Competência Originária) do Ministério Público Estadual e estão sendo cumpridas em Cuiabá, Sorriso e Brasília-DF, pelo GAECO (Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado) e Polícia Judiciária Civil, com apoio da Polícia Militar, por meio do BOPE.

Dentre os alvos estão dois parlamentares da Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso, Eduardo Botelho e Mauro Savi, o ex Deputado Federal Pedro Henry, servidores públicos, empresas e particulares. A operação tem por objetivo desmantelar uma organização criminosa, que atuava junto ao DETRAN urdida para desvios de recursos públicos.

O cumprimento da ordem judicial envolveu uma força tarefa com aproximadamente 200 integrantes, dentre Policiais Civis, Policiais Militares, Delegados de Polícia e Promotores de Justiça.

FONTE MP-MT

—————-

 

Justiça nega pedido de prisão de presidente da ALMT e outros investigados por desvios no Detran

Ao todo, o MP pediu na Justiça a prisão de 49 suspeitos de envolvimento no esquema. Entre eles, a do presidente da ALMT, Eduardo Botelho, e do ex-deputado federal, Pedro Henry

 

A Justiça de Mato Grosso negou pediu de prisão do presidente da Assembleia Legislativa (ALMT), Eduardo Botelho (PSB), e outros investigados por supostos desvios no Departamento Estadual de Trânsito (Detran-MT). As fraudes são investigadas na Operação Bereré, deflagrada nesta segunda-feira (19).

Por meio de assessoria, Botelho afirmou que ainda deve se manifestar sobre o caso.

Entre os outros investigados estão o ex-deputado federal Pedro Henry, o ex-secretário estadual Éder Moraes e o ex-presidente do Detran-MT, Teodoro Lopes, o Dóia.

Eles são suspeitos de integrarem um esquema colocado em prático por Teodoro, em 2007, quando ele assumiu o comando do Detran. O plano desviou dinheiro do órgão.

Ao todo, o Ministério Público (MP) solicitou na Justiça a prisão de 49 suspeitos de envolvimento no esquema. Todos eles foram negados.

No pedido, o órgão alega que existem indícios suficientes de autoria das ilicitudes e que, devido “a necessidade de concluir a coelta de provas”, as prisões seriam necessárias.

Na decisão que indefere os pedidos, o desembargador José Zuqim Nogueira, por outro lado, afirma que não foram apresentados fatos específicos, “dos quais possa defluir a existência de ameaça à investigação e futura inquirição, não tendo cabimento a prisão neste momento”.

O esquema

Dóia fez acordo de delação premiada com o Ministério Público Estadual (MPE), que, como consta na decisão, apontou que o esquema começou na gestão do ex-governador Silval Barbosa (MDB), com a indicação dele, feita pelo deputado Mauro Savi (PSB), também investigado por suspeita de participação no esquema.

“A partir daí, deu-se início a uma organização para fraudar licitação, abrir empresa ‘fantasma’, auferir vantagens com o recebimento de propina, envolvendo dezenas de pessoas, para acobertar todas as irregularidades e dar roupagem de legalidade ao serviço prestado pela empresa direcionada”, diz.

O MPE argumentou que as investigações revelaram a existência de uma organização criminosa formada por três núcleos autônomos, que agem concatenados para a prática das condutas ilícitas.
Operação Bereré cumpriu mandados de busca e apreensão nesta segunda-feira (19) (Foto: Tiago Terciotty/TV Centro América) Operação Bereré cumpriu mandados de busca e apreensão nesta segunda-feira (19) (Foto: Tiago Terciotty/TV Centro América)

Operação Bereré cumpriu mandados de busca e apreensão nesta segunda-feira (19) (Foto: Tiago Terciotty/TV Centro América)

Operação Bereré

A Operação Bereré cumpre mandados em Cuiabá, Sorriso, a 420 km de Cuiabá, e Brasília, pelo Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco) e pela Polícia Civil, contra desvio de verba do Detran.

Foram cumpridos mandados na casa do presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), Eduardo Botelho (PSB), na casa e no gabinete do deputado Mauro Savi (PSB), na casa do ex-deputado federal Pedro Henry e nas casas de servidores públicos e empresários.

O esquema é investigado pela Delegacia Especializada em Crimes Contra a Administração Pública e Ordem Tributária (Defaz) em conjunto com o Núcleo de Ações de Competência Originária (Naco).

FONTE G1 MATO GROSSO

Pedido formulado pelo MP-MT para prisão de Eduardo Botelho, Mauro Savi e outros investigados na Operação Be… by Enock Cavalcanti on Scribd

Sem comentários. Seja o primeiro a comentar

Assinar feed dos Comentários

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

um × um =

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.