Construtora MRV atrasa entrega de imóveis no condomínio Parque Chapada dos Guimarães, em VG. Atraso desencadeou insatisfação de 300 famílias que já deveriam estar residindo no local e elas anunciam protesto nas ruas, neste sábado (21)

Há dois meses os moradores  haviam programado um primeiro protesto, por meio das redes sociais, mas o ato não se realizou porque a empresa ficou sabendo e pediu um prazo de 30 dias, que venceu nesta sexta-feira (20) para efetuar a entrega. Mas, segundo os moradores, nenhuma posição foi dada até o momento e eles não estão dispostos a se calarem

Há dois meses os moradores haviam programado um primeiro protesto, por meio das redes sociais, mas o ato não se realizou porque a empresa ficou sabendo e pediu um prazo de 30 dias, que venceu nesta sexta-feira (20) para efetuar a entrega. Mas, segundo os moradores, nenhuma posição foi dada até o momento e eles não estão dispostos a se calarem

EXPANSÃO IMOBILIÁRIA
Construtora atrasa entrega de imóvel e proprietários protestam
Empreendimento tinha prazo para ser entregue pelo Grupo MRV em maio de 2012

ELIANA BESS 

 

Futuros moradores do condomínio Parque Chapada dos Guimarães, em Várzea Grande realizam uma manifestação neste sábado (21) para reivindicar a entrega da primeira etapa da construção. O ato acontecerá na localidade que abriga 11 torres de construção, às 8 horas. A MRV Engenharia não se posicionou em relação a uma data para a entrega.

Cerca de 7 torres já deferiam ter sido entregue. O prazo dado pelo Grupo MRV, construtora responsável era maio de 2012. E na sequência as torres restantes. O problema é que até o momento nenhuma das etapas foram entregues. Há cerca de um mês os moradores fizeram mobilização no local do condomínio, na avenida da FEB.

O fato desencadeou uma insatisfação entre as 300 famílias que já deveriam estar residindo no condomínio e agora, vão participar do movimento. “Não dão satisfação, extrapolam os prazos que eles mesmos determinam. Não dá para suportar mais”, declarou a futura moradora Marinha Soares Barbosa.

Por meio da assessoria de imprensa, a MRV informou que o residencial Parque Chapada dos Guimarães está na etapa final.

Marinha Soares
Moradores fizeram mobilização há semanas para cobrar direito de ter o imóvel

“Todos os blocos estão com as obras finalizadas e com os serviços de água, esgoto, gás e energia implantados. Nesta sexta-feira (20), foi realizada uma reunião com o síndico e demais representantes do residencial para passar todas as informações sobre o empreendimento”, consta em documento da asssessoria.

Há dois meses os moradores programaram um protesto por meio das redes sociais, mas fracassou porque a empresa ficou sabendo e procurou a diretoria pedindo um prazo de 30 dias, que venceu na sexta-feira (20) para efetuar a entrega. Mas, segundo os moradores, nenhuma posição foi dada até o momento.

Os apartamentos foram adquiridos na planta. Estão prontos, inclusive os proprietários já fizeram a revisão, a tal visita técnica. Até a implantação do condomínio com escolha de sindico e demais membros da diretoria foi realizada em agosto deste ano.

É uma fase conclusiva para a entrega das chaves. Na sequência os moradores contrataram um engenheiro para vistoria na área externa que detectou várias irregularidades, que estão sanando.

Um tempo atrás alegaram que faltava o habite da prefeitura, que havia sido devolvido por falta de documentos.

Marinha Soares

“Extraoficialmente ficamos sabendo que esse documento, a Prefeitura de Várzea Grande já emitiu. Agora não temos mais o que esperar, queremos uma posição da MRV. Queremos as chaves para morar, não tem como dar mais prazos”, argumenta Marinha.

Segundo a companhia, já foram apresentados à Prefeitura de Várzea Grande todos os documentos necessários para a finalização do processo de emissão do Habite-se, certidão que comprova a finalização da obra e habitabilidade do empreendimento.

Quanto a data de entrega a empresa não se manifestou.

REUNIÃO URGENTE

Na manhã de sexta-feira (20), data que venceu o prazo dado pela construtora para a entrega (depois de vencidas outras datas), o síndico Cleyton Fragoso foi procurado para uma reunião urgente que causou estranheza.

Com a participação de dois representantes (Ricardo e Roberto) do Grupo MRV, o que aconteceu foi o retorno da vistoria realizada nos imóveis no final de novembro (dia 26).

“O que despertou estranhamento foi o fator “urgência” por parte dos membros da MRV. Devem estar sabendo da vontade do grupo (protestar) em relação ao descontentamento da maioria”, pontuou o síndico.

Na oportunidade a diretoria do condomínio apontou alguns pontos que ainda não foram corrigidos, como por exemplo, os vãos nos muros, a pintura externa do muro próximo a guarita, entre outros itens.

Cleyton chama a atenção para o fato de que a MRV querer entregar o condomínio sem o devido documento necessário, o “Habite-se”. “Isso é um risco muito grande para todos. A MRV vai entrar em contato com as pessoas que estão aptas a receber a chave e pedir para assinar documento em que o proprietário consente e assume a responsabilidade de não aceitar a vistoria da área comum por parte do corpo administrativo do condomínio”.

O síndico confirma participação no evento e acredita que as manifestações devem acontecer não apenas no condomínio, mas também nos locais de lançamentos da MRV Engenharia

Categorias:Direito e Torto

1 Comentário

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 191.217.175.44 - Responder

    Gente, também fiz financiamento da MRV e estou tendo problemas, mas não tenho contato com pessoas que passam pelo mesmo problema. Queria saber como o pessoal marca para se encontrar e fazer protestos. Por favor alguém me avise.
    Meu telefone é 9308 3048.
    Obrigada.

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

19 − 10 =