OAB esconde lista de aprovados na 1ª fase do 9º Exame da Ordem


O resultado preliminar da 1ª fase (prova objetiva) do 9º Exame de Ordem Unificado foi divulgado nesta quarta-feira, 26, pelo Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). A prova foi aplicada no último dia no dia 16. Ao contrário do que já se tornara uma tradição, em exames anteriores, neste mês de dezembro o Conselho Federal não divulgou a relação dos aprovados, estado por estado.

O advogado Maurício Gieseler, especialista em Exame da Ordem, teme que tenha acontecido uma nova "hecatombe"

Para conferir o seu desempenho, o candidato deve informar o número de CPF e a senha cadastrada no ato da inscrição, no site do Conselho Federal da OAB. Ou seja, cada candidato sabe de sua aprovação, ou não, mas não se tem uma visão ampla dos resultados. Para o especialista Maurício Gieseler, advogado em Brasília e responsáveis por um Blog no Portal do Exame da Ordem, que se dedica a promover cursos e eventos relativos ao Exame da Ordem, “fazendo uns cálculos aqui e consultando umas fontes acolá, acredito que estamos diante de um provável recorde histórico de reprovação do Exame da Ordem em uma Primeira Fase. Ou seja, estou falando de uma reprovação que vai além dos 90%”. Esse recorde de 90% de reprovação na Primeira Fase aconteceu no Exame da Ordem 2010.3.

De acordo com a OAB, foram aprovados nesta primeira etapa os candidatos que tiverem acertado 50% das 80 questões propostas. O examinando que desejar interpor recurso contra o resultado preliminar poderá fazê-lo até às 12h do dia 29 deste mês. O gabarito definitivo da primeira fase – já contendo os resultados dos recursos interpostos – será divulgado no dia 15 de janeiro de 2013.

A prova prático-profissional ou etapa subjetiva – para a qual só se submeterá o candidato que for aprovado na primeira fase – está marcada para 24 de fevereiro do próximo ano. O Exame de Ordem pode ser prestado por bacharel em Direito, ainda que pendente apenas a sua colação de grau, formado em instituição regularmente credenciada. Podem realizá-lo os estudantes de Direito do último ano do curso de graduação em Direito ou do nono e décimo semestres.

14 Comentários

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 189.92.121.229 - Responder

    Realmente, o motivo da não colocação da lista geral com o nome dos alunos deve ser porque a reprovação foi, se brincar, acima de 90%. Sou testemunha disso, fiz a prova. Sou aluna nota 10, sempre tiro as melhores notas na faculdade e só consegui acertar 33 questões. A prova estava extremamente dificil. Tinha questões que não dava para entender o que, de fato, eles queriam como respostas. A OAB pegou pesado nessa prova, ou contratou professores inexperientes para prepará-la. Nada a ver com o que realmente precisamos saber do Diireito.
    Outra coisa que notei é que a prova maiis coerente com o que o advogado tem de saber e o que se está estudado nos cursos de Direito das melhores faculdades, era a de Ética o restante parecia uma caça ao Tesouro. Até a prova de Direito Constitucional que eu adoro, estava terrivel, digna de concurso para juiz.
    Gostaria de mandar um recadinho à OAB, amo o Direito, estudei muito para esta prova, vou ser advogada para defender as causas dos menos favorecidos, este sempre foi o meu sonho. Então, dê-nos a oportunidade de fazer uma prova justa, não compliquem as questões a ponto de o aluno não poder fazer a prova, nossos sonhos podem estar indo para o ralo por causa de uma prova mal elaborada. Contratem professores que trabalham no cuso de Direito para fazer a prova, nós pagamos por isso, pois 200,00 hoje, é um bom dinheirinho. A OAB é uma organização maravilhosa, pois é encabeçada pelos melhores advogados do país, não nos decepcionem.

  2. - IP 189.92.121.229 - Responder

    Não sou contra o exame da Ordem, acho que até tem de existir, pois pelo contrário certos alunos do curso de Direito que nem sabem escrever direito. passariam a advogar só por ter um diploma de uma faculdade qualquer. Sou totalmente a favor do exame e até do valor cobrado, pois sei que a redação das provas requer custos, assim como a sua impressão e tudo o mais. O que realmente acho sem cabimento é o tipo de provas que preparam para o aluno, aquilo não é um teste, é um labirinto cheio de pegadinhas, não é justo. Dão relevância a questões estranhas à necessidade dos advogados, é uma vergonha. Será que estas provas estão sendo elaboradas por advogados? Acredito que não. Isso deve ser investigado duramente, o STF deve tomar as providências, ou até mesmo o Senado Federal. Pelo contrário estarão sendo coninvente com uma injustiça sem tamanho, uma tortura psicólogica infrigida publicamente aos estudantes de Direito. Se brincar daqui a alguns dias teremos alunos entrando com pedido de indenização à OAB por tortura psicológica. Vou esperar para ver. Muitos não conseguem passar na prova, mas conseguém elaborar petições extremamente complexas nos estágios dos núcleos jurídicos. Conheço gente que já fez o exame 5 vezes e não conseguiu passar, está piradinho, já até tentou suicídio, isso um dia vai dar o que falar, vamos esperar para ver

  3. - IP 189.92.121.229 - Responder

    Edinalva Oliveira… 25 de Dezembro de 2012 » postado em notícia relacionada

    Eu até concordaria se realmente o exame da OAB, fosse pensando em resguardar o patrimônio do cliente, como alega a elite classicista da OAB, se o exame da ordem fosse gratuito, ora se o governo pensa tanto assim no bem estar do cidadão, se a competência é do MEC, nada mais justo que o exame da ordem fosse feito gratuitamente e anualmente aplicado nos cursos de Direito no 9. e 10. períodos, os alunos egressos que não conseguissem nota poderiam continuar prestando o exame. agora o que existe no País é uma máfia, uma máquina de extorsão do dinheiro publico dos milhares de estudantes e ou bachareis de Direito, a começar pelos cursinhos de preparação, pelos apostileiros, pelos cursos on line, não há nada mais lucrativo do que o exame imoral da ordem. e realmente são muito desproporcionais as questões feitas com intuição de reter o bacharel de direito para dar sustentabilidade a redes de cursinhos que existem por aí, é imoral um País que o presidente da Republica fecha os olhos, os deputados e senadores são omissos e covardes, não tem coragem de enfrentar a elite classicista da OAB. nao estou impigindo pela liberação do exame e sim pela maneira imoral, extorsiva, corruptiva que tem sido este exame, outra coisa, onde está a isonomia do direito, justo seria todos niveis superiores prestar exames de proeficiência, contudo avaliação gratuita e feita pelo MEC.. ACORDA BRASIL…HELLO DILMA ….CADE OS POLITICOS DESTE PAÍS QUE DIZEM DEFENDER O DIREITO DO POVO, PELO VOTO DO POVO GENUINAMENTE CONSTITUIDOS;;;
    NALVA PORTO VELHO RO

  4. - IP 177.68.249.205 - Responder

    Parabens.. ao examinador da ordem.. se é que podemos chamar de “examinador”.. porque o presidente da ordem nao tenta fazer uma prova destas.. sera que ele nao tem competencia ou tem medo do “bicho papao que criaram para arrecadar dinheiro”.. nao sou contra a prova acho que deva sim existir, mas deve ser coerente e relacionada ao dia dia do advogado, nao bobeiras ou pegadinhas.. alias acredito que o “examinador” trabalha para criar pegadinhas nao na soluçao real.. e olha que que esta comentando isto sao os proprios professores de cursinho.. teve uma pergunta de ética que o proprio gabarito da rede LFG a resposta foi igual a minha, porem a acertiva correta segundo o examinador era outra que nao tinha nada ver… Não vou desanimar, mas cheguei a conclusao que nao vale a pena estudar a legislaçao ou fatos reais, pois o examinador esta querendo ver quem tem mais sorte nas alternativas, ao inves de verificar conhecimento.. esta prova nao esta avaliando conhecimento de ninguem.. Reafirmo novamente.. porque o presidente da ordem nao tenta fazer esta prova , ah sem receber o gabarito ou folha de respostas antes é claro..
    Boa sorte presidente da ordem.

  5. - IP 189.92.207.225 - Responder

    Gostei Roberto rsssssssssssssssssssssssssssssssssssssssss

  6. - IP 177.17.203.225 - Responder

    Parem de chorar, seus reprovados. A reprovação é prova de que não estudaram como deveriam. Aproveitem o tempo ocioso, já que não poderão trabalhar na advocacia, e estudem para que sejam aprovados na próxima prova. Quanta reclamação inútil!

    • - IP 201.3.126.236 - Responder

      Você acha que mais de 110 mil reprovados não estudaram corretamente, com certeza vc deve ter esta maldita
      carteira da oab, deve ser um advogado, o que vcs não querem é mais concorrência, novos profissionais, hipócritas

      • - IP 200.189.119.1 - Responder

        Deixe de choramingar Omar! 110 mil reprovados que não estudaram corretamente, sim!!!!!!!!!
        Passam a faculdade vadiando e agora querem aprovação por mágica!!!!!!!!! Vão estudar safados. A provinha estava bem tranquila

  7. - IP 189.59.61.192 - Responder

    Não sou contra o exame, mas o que a OAB faz é enganar o bacharel. Querem provas? Sabem como ele manipulam o resultado, então entrem no site do MNBD (Movimento Nacional dos Bacharéis em Direito). Lá tem prova documental, inclusive uma das manipulações aconteceu aqui em Cuiabá.Admiro que TODOS jornalistas não tocam nesse tema da prova manipulada da OAB.Lá em Brasília corre um projeto de lei para que o exame seja feito pelo MEC e não pela OAB, resumo da ópera: Não podemos deixar o “lobo” OAB, vigiar o galinheiro.
    http://www.mnbd.org/index.php
    Nesse site a verdade documentada e periciada pela PF.

  8. - IP 177.193.135.188 - Responder

    Estudem! só isso! Fracassos acontecem, como já me ocorreram, mas a diferença é que não procurei desculpar-me pela falta de dedicação e estudo. Ser aluno nota 10 não significa nada; nota não significa nada. Tive colegas com nota 10, que chegaram a ganhar até placa de reconhecimento e merecimento, mas só passaram na 3ª ou 4ª vez. Fui aluno esforçado, tentava compreender o fenômeno jurídico (e não decorar), tirava notas razoáveis (entre 7 a 8.5..uma única vez um 9.5), passei na 1ª vez (com nota 71, na 1ª fase, e nota 8 na 2ª fase, quando era o CESPE, há 3 anos). Continuei estudando, “apanhei” muito em concurso, e depois de cerca de 2 anos de estudo, começo a colher os primeiros frutos: Procuradoria do Estado-RS, Defensoria Pública-RO, Procuradorias Municipais e até TRF magistratura (mas tomei um banho de água fria na segunda fase e acabei sendo reprovado).
    Cada é quem sabe de suas próprias dificuldades. Procure identificá-las e saná-las com o tempo. Não caiam em conversa de jornalista que tem “birra” da OAB, sem fundamento jurídico algum (só tem notícias fantasiosas, ao lado de um grupo de advogados pseudo intelectuais; muita fama, pouco conhecimento). Vocês tem a capacidade de pensar, então pensem e estudem. Sempre há espaço para os bons.

    • - IP 177.193.135.188 - Responder

      Perdoem-me pela falta de um ou outro elemento gramatical. Escrita rápida e de celular; esmiuçar a oração em sintagmas nominal e verbal fica bem complicada. O que vale é a intenção. Estudem meus caros, porque como dizia meu falecido e querido avô: estudar nunca matou ninguém.
      PS: sou jovem como vocês. Tenho 25 anos de idade. Também gosto de sair (não sou fã de balada) e viajar. Mas quando se tem uma meta, ou você a cumpre, ou você continuará na mesma. E não existe fórmula mágica: é ler e ler, praticar, exercitar. Pronto. Não caiam em conversa de estelionatários intelectuais travestidos de professores.

  9. - IP 177.116.34.250 - Responder

    A transparencia nao vale para essa entidade inutil e polittitica da OAB. Cobram transparencia de tudo e todos, mas quando è no quintalzinho deles nao existe e sentam em cima do rabinho. Hihihihihihihi ( nilo)

  10. - IP 201.49.164.123 - Responder

    Primeiramente quero esclarecer que passei na primeira fase, então aqui não serão desfiadas lamurias de quem não logrou êxito. O Exame de Ordem é necessário. O grande problema é que pelo seu atual formato tornou-se uma ferramenta de exclusão e não um instrumento de mensurar o grau de capacidade dos bachareis. Provas com questões dubias, pegadinhas e outros sortilégios não medem conhecimento, e acabam nivelando por baixo todos, tanto os que estudaram quanto os que não estudaram. A OAB é uma instituição “sui generis”. Será?

  11. - IP 187.69.215.139 - Responder

    Concordo com Antonio Moraes, este tipo de prova que a OAB está aplicando não mede conhecimento. É, realmente, uma forma de exclusão. Fiz a prova, estudei muito, sempre tenho boas notas durante o curso, entretanto só acertei 34 questões. Acredito que não é a OAB em si, que reduzir a entrada do númmero de advogados no mercado de trabalho, o problema é que o FGV está mantendo em seu quadro de profissinais pessoas com pouco conhecimento, insuficiente até para elaborar uma boa prova. São pessoas que estão treinadas para aulas de cursinho, que sabem na ponta da língua o conteúdo que ministra mas sem capacidade para elaborar provas, pois este tipo de trabalho é específico de pessoas que detem conhecimentos profundos sobre, leitura, interpretação, e organzação textual, o que não é próprio dos profissionais do Direito, principalmente de professores formados apenas em Direito. Ainda estou cursando o nono semestre, sei que ainda não sei tudo sobre o Direito, estretanto, conheço muito bem as normas para se elaborar um bom enunciado de questão, sou professora de português, As provas da OAB, tem enunciados truncados, sem coesão nem coerencia, não dá base ao aluno para saber de fato, o que quer como resposta. Pagams caro pela prova, merecemos coisa melhor. Vai um recadinho ao FGV, contratem um revisor formado em língua portuquesa e especialista em leitura e interpretação de textos para fazer revisão das provas, quem sabe assim melhorará a redação dos enunciados das questões.

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

19 − 12 =