Prado, estressado, saiu em defesa do MP. Deu murro na mesa

Operação Ararath – Encomind, Tocantins Adv, Bosaipo, Chico Galindo, Mauro Mendes by Enock Cavalcanti

Operação Ararath – Bic Banco, Éder Moraes e Ortolan by Enock Cavalcanti

Operação Ararath – Piran, precatórios, Andrade Gutierrez, Encomind by Enock Cavalcanti

Operação Ararath – Denúncia contra Éder, Laura, Vivaldo e Cuziol by Enock Cavalcanti

Operação Ararath – Busca e apreensão Alencar Soares e Sérgio Ricardo by Enock Cavalcanti

Operação Ararath – Busca e apreensão Junior Mendonça by Enock Cavalcanti

Pressionado pelo noticiário que expõe o Ministério Público, o procurador Paulo Prado demonstrou seu estresse e teve um ataque de nervos diante da platéia de jornalistas. Fotos Midia News

Pressionado pelo noticiário que expõe o Ministério Público, o procurador Paulo Prado demonstrou seu estresse e teve um ataque de nervos diante da platéia de jornalistas. Fotos Tony Ribeiro/ Midia News

 

 

Infelizmente, este blogueiro não pode comparecer à coletiva tão aguardada do procurador Paulo Prado. Um forte dor nas articulações de uma das minhas velhas pernas me obrigou a buscar socorro médico justamente no horário das 17 horas, quando Paulo Prado, depois de um silêncio de uma semana, finalmente saiu em defesa do Ministério Público Estadual.

Paulo Prado, todavia, reapareceu gritando demais, demonstrando estar submetido a uma alta taxa de estresse. Em um momento de tensão como este, o nobre procurador geral se não conseguiu se acalmar, deveria ter se cercado de gente mais calma, mais didática pois, pelo que vi no programa do Toninho de Souza, pelo que li nos informativos da internet que mandaram repórteres bons de perna até lá, ficou a impressão de muita paixão e nenhum informação quanto ao enfrentamento prático da denuncia encaminhada à Justiça Federal e que leva a assinatura do Ministério Público Federal, através da procuradora Vanessa Scarmagnani.

“Querem calar o Ministério Publico”, gritou o esbaforido chefe do MPE. Bateu na mesa. Praguejou. Falou num rompante. Logo depois levantou-se, saiu como quem não pretende falar mais com os jornalistas, mas depois voltou, algo constrangido. Pediu desculpas, acabara de chegar de Brasília, vira a pretensa lista recolhida na casa do Éder, achara aquilo um absurdo.

“Não posso admitir que pessoas sérias que trabalham no Ministério Público há mais de 20 anos, em defesa da sociedade mato-grossense, tenham seus nomes, de forma leviana e irresponsável, jogados na lama.”

Será que é a procuradora Vanessa que está jogando o nome dessas pessoas sérias na lama?

Será que Paulo Prado esbravejava contra a nossa brava imprensa mato-grossense, perdida entre a adulação aos poderosos e as revelações da Operação Ararath, que surgem em cascata?

Não ficou bem esclarecido. Paulo Prado precisa se acalmar. Pegar os documentos do processo e enfrentar cada acusação que levanta contra o MP ponto por ponto. E que leve para mesa outros dirigentes do Ministério Público capazes de dialogarem mais racionalmente com os jornalistas e, através deles, com a cidadania mato-grossense, sequiosa por informações qualificadas.

Confira a nota divulgada pelo próprio MP sobre a coletiva emocional do procurador. Veja que a nota fala em “tentativa de intimidação”. Só que forma genérica. Não fica claro quem o MP entende que está tentando intimidar o MP.

 

paulo prado mpe

—————–

“OPERAÇÃO ARARATH”

Procurador-Geral de Justiça defende membros da instituição e rechaça qualquer tentativa de intimidação

Em entrevista coletiva realizada nesta terça-feira (27), o procurador-geral de Justiça, Paulo Roberto Jorge do Prado, saiu em defesa do Ministério Público do Estado de Mato Grosso e rechaçou qualquer tentativa de intimidação aos membros da instituição. Esclareceu que a lista apresentada pela Polícia Federal e Ministério Público Federal contendo nomes de procuradores e promotores de Justiça que, supostamente teria sido apreendida em mandado de busca e apreensão na residência do ex-secretário de Fazenda Éder Moraes, refere-se a pagamentos de cartas de créditos de origem lícita.

“Não posso admitir que pessoas sérias que trabalham no Ministério Público há mais de 20 anos, em defesa da sociedade mato-grossense, tenham seus nomes, de forma leviana e irresponsável, jogados na lama. Não vou permitir que o Ministério Público seja tachado como uma instituição criminosa”, afirmou o procurador-geral de Justiça.

Prado explicou que as cartas de crédito foram pagas aos procuradores e promotores de Justiça que possuíam direitos trabalhistas. As negociações foram feitas com deságios de mais de 25% e o pagamento foi parcelado em 12 vezes, sem correção monetária. “Cada membro, cujo nome foi colocado nessa lista, tinha direitos trabalhistas a receber e como o Estado não tinha condições de pagar, recorremos ao mercado, tivemos prejuízos, e agora ainda somos tachados de criminosos”, repudiou.

O procurador-geral de Justiça aproveitou a oportunidade para dirimir eventuais dúvidas a respeito do mandado de busca e apreensão cumprido na sede do Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco), na terça-feira passada. Destacou que ainda não teve acesso às investigações, mas que internamente a instituição já adotou as providências necessárias para garantir imparcialidade e transparência na apuração dos fatos.

“Deferi o pedido de afastamento efetuado pelo promotor de Justiça do Gaeco, citado nas investigações e a Corregedoria Geral do Ministério Público também instaurou procedimento para apuração dos fatos. Essas medidas visam assegurar imparcialidade e transparência no decorrer das investigações”, afirmou.
FONTE MPE

PARA SABER MAIS SOBRE OS NOMES DO MP-MT NA LISTA DO EDER

http://paginadoenock.com.br/paulo-prado-vai-continuar-se-escondendo-em-sua-denuncia-ministerio-publico-federal-cita-lista-com-nomes-de-47-nomes-do-ministerio-publico-estadual-na-relacao-na-frente-de-cada-nome-de-promotor-e/

 

8 Comentários

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 200.103.7.99 - Responder

    DINHEIRO PRA COMER NÃO FALTA NÉ GLUTÃO…?
    VAI COMER ‘JULIA’ NA CADEIA !
    VAI FICAR FININHO…KKKK

  2. - IP 189.74.59.120 - Responder

    Muito nervoso para estar ao lado da verdade,faltou serenidade,razão,bom senso,lamentável ou mesmo deprimente para um Procurador Geral da Justiça!!!

  3. - IP 177.41.91.207 - Responder

    Por que está tão nervoso,ele comanda uma autarquia constituída na sua quase totalidade por ADVOGADOS,que passaram em prova de concurso e se tornaram promotores.Apenas por esse fato ,já é problemática.Não são uma organização de feiras carmelitanas,e o principal ele não explicou: O QUE ESSA LISTA ESTAVA FAZENDO LÁ?Será que o Éder estava acionando o Banco paralelo para quita-la?E as conversas altamente suspeitas que foram GRAVADAS pela PF e estão no inquérito,entre o promotor Regenhold e o preso Éder?O que o sr. Paulo tem a dizer.Esbravejar ,nem intimida nem explica ,o que nós queremos e exigimos,são explicações!

  4. - IP 177.203.35.77 - Responder

    Ao invés de esbravejar o nobre procurador deveria se explicar , pois essa de férias vencidas a receber não convençe nem o Tiririca ; né abestado?
    Explicações objetivas e firmes seriam melhor , afinal já diz o adágio popular:
    “se grito resolvesse algo , porco não morria”

  5. - IP 191.231.156.243 - Responder

    oi doutor eu sou um servente de pedreiro estou passando situaçoes quaz indentica hoje e muito facil as pessoas colocar nome da gente na lama e depois de tudo agente que espricar agora mesmo estou passando por situaçoes aonde do nada estou respondendo processo na justiçaso ate agora ninquem proculrou saber quem sou eu e quem que e essa pessoa eu moro a mais de 25 anos no mesmo lugar derrepente chega uma pessoaque ninquem conhecer e coloca eu nessa situaçao e faço um apelo para a policia militar que ousa as testemuinha no local e faça um boletim correto obrigado doutor lute pelo_seu nome

  6. - IP 187.90.229.22 - Responder

    Se eles tem direito a DUAS férias por ano, é pra não ficar estressado. Como prefere receber em grana, o que está completamente errado, se auto-pagou meio milhão de reais. Tá explicado o silêncio PGJ quanto aos desmando de Eder durante todos governo Maggi (outro amigo do gordinho).
    E não adianta gritar, espernear, isso só piora.
    Essa denúncia é BATON NA CUECA.
    ACABOU-SE O PALADINO DA MORALIDADE!

  7. - IP 189.59.56.199 - Responder

    É, Doutor… a sua batata está assando!… Sempre foi muito fácil jogar o nome de outras pessoas de bem na lama, né?… Agora que pisaram no seu calo e dos seus 46 pupilos… Pede prá sair, enquanto é tempo!!!

  8. - IP 186.213.231.80 - Responder

    Já dizia o reverendo Desmond Tutu: “Não eleve a sua voz. Melhore a qualidade dos seus argumentos”….
    Serve para o ilustríssimo Procurador…

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

19 + 1 =