CIENTISTA POLÍTICO VICENTE VUOLO: Os cuiabanos devem estar orgulhosos por este momento. De festejar a Copa, sim! Mas de comemorar, também, a reversão da desigualdade social no Brasil. Digamos não ao pessimismo! O momento é de afirmação, de Cuiabá e do Brasil.

Agora, com a Copa do Mundo, avalia Vicente Vuolo, um fluxo extraordinário de investimentos agiganta Cuiabá e cria as condições para que a capital de Mato Grosso se afirme, cada vez mais, diante do Brasil e do mundo

Agora, com a Copa do Mundo, avalia Vicente Vuolo, um fluxo extraordinário de investimentos agiganta Cuiabá e cria as condições para que a capital de Mato Grosso se afirme, cada vez mais, diante do Brasil e do mundo. Na foto, os chilenos que animaram a festa do futebol em Cuiabá

 

Cuiabá é Brasil!

* Vicente Vuolo

Cuiabá vive hoje um dos momentos mais importantes da sua história. Sua escolha como uma das sedes para a Copa do Mundo coloca nossa capital num patamar “sui generis” dentre as maiores metrópoles do mundo. Os milhares de estrangeiros que aqui estiverem ou assistirem pela televisão, terão a oportunidade de constatar que a nossa cidade é um palco de hospitalidade ímpar, um encanto de beleza natural e uma comunidade história costurada e bordada por índios, negros e brancos.
Cuiabá é a porta de entrada para os três ecossistemas presentes no Estado: Pantanal, Cerrado e a Floresta Amazônica. Aqui está o Centro Geodésico da América do Sul.
Agora é a oportunidade de mostrar ao mundo que o Brasil não é somente a faixa do litoral. Cuiabá é Brasil, também. Não só, o Rio, São Paulo, Porto Alegre, Belo Horizonte, Curitiba merecem sediar a Copa. Mas, infelizmente, para alguns esta parte do mundo deveria continuar esquecida de tudo e de todos. Deveria continuar isolada, como aconteceu por 250 anos dos 500 de colonização.
A primeira transformação significativa para impulsionar o crescimento deste rincão foi a construção de Brasília, que forçou o asfaltamento do BR-364 e a extensão da energia elétrica. Cuiabá não podia atrair grandes indústrias, devido a dependência energética. Era um caos para a maioria dos municípios mato-grossenses. Com a divisão do Estado – quando muitos pensavam que o Norte ficaria mais prejudicado, aconteceu o contrário – a nossa região experimentou um crescimento vertiginoso, não só no agronegócio, na pecuária, surgimento de novas cidades, como também na agricultura familiar e em outros segmentos significativos do ramo imobiliário.
Agora com a Copa do Mundo, um fluxo extraordinário de investimentos agiganta Cuiabá. São obras que o Governo da Presidente Dilma entrega à população cuiabana e várzea-grandense, investimentos de envergadura jamais vistos por nosso povo. O Aeroporto Marechal Rondon, que passou a ser Internacional com voos diretos para Santa Cruz de La Sierra, na Bolívia. Vários viadutos e trincheiras, que dão um ar de modernidade. A belíssima Arena Pantanal, considerada pelos integrantes da FIFA como uma das mais bonitas do mundo. Os Centros de Treinamento (UFMT e Pari) que serão muito utilizados para impulsionar a prática esportiva. Investimentos de alta tecnologia na área de segurança e comunicação. E o VLT, transporte ecologicamente correto e versátil, um dos mais utilizados na Europa.
Portanto, os cuiabanos devem estar orgulhosos por este momento. De festejar a Copa sim! Mas, de comemorar, também, a reversão da desigualdade social no Brasil. Uma combinação de distribuição direta de benefícios com o aumento real de salários a partir da elevação consistente de seu piso mínimo, com a ampliação da parcela da população com acesso ao crédito.
Ao mesmo tempo, é necessário avançar mais. Precisamos incluir Chapada dos Guimarães como a nova “Gramado” brasileira. Mais do que isso, ela possui beleza natural que Gramado não tem. Precisamos aproveitar melhor o potencial turístico do Estado. Precisamos estender os trilhos da ferrovia Senador Vuolo de Rondonópolis à Cuiabá e concluir as obras do VLT para dar as boas vindas ao melhor transporte que se pratica no mercado de transporte, que é a ferrovia. Precisamos integrar as obras viárias com ciclovias e ciclofaixas. Há que se melhorar e articular o sistema o sistema de saúde e fazer da educação nosso verdadeiro cartão postal para o futuro. Ou seja, vamos caminhar para frente, positivamente. Digamos não ao pessimismo! O momento é de afirmação, de Cuiabá e do Brasil.

VICENTE VUOLO é cientista político,  analista legislativo do Senado Federal e pré-candidato ao Senado pelo PT-MT
E-mail: vicente.vuolo10@gmail.com

Categorias:Terra da gente

1 Comentário

Assinar feed dos Comentários

  1. - Responder

    GOSTARIA DE SABER A ESTIMATIVA DE GASTOS DOS ESTRANGEIROS NO BRASIL…. JÁ QUE FALARAM QUE VINHAM TRAZENDO O BOLSO CHEIO DE DINHEIRO PRA GASTAR NO BRASIL. … AQUI EM CUIABÁ SEI QUE SÓ VEIO QUEBRADO… É SÓ OLHAR NAS RUAS .. UM BANDO DE GRINGO COM SACOLINHA E CHINELA DE DEDO… SEI NÃO !!! OS CARAS SÓ COMEM BAGUNCINHA !!!

    NO RIO OS ARGENTINOS TÃO FAZENDO CHURRASCO DE LINGUIÇA EM COMPACABANA… FALA SÉRIO.!!

    CADÊ OS MILHÕES QUE OS TURISTAS ESTRAMGEIROS IRIAM TRAZER PARA GASTAR NA COPA DO BRASILL

    O VAI RESTAR AQUI É UM ESTÁDIO INÚTIL.. UM MONTE “VIADUTOS” MAL FEITOS E HORRENDOS.. E MUITO BURACO NAS RUAS…. AGUENTA MATO GROSSO.. A CAPITAL TÁ UM HORROR..IMAGINA O INTERIOR.. E OLHA QUE O ESTADO É RICO…

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

2 + 3 =