TCE - OUTUBRO

Cidade Invisível estreia neste sábado, na TV Cultura, com o ator mato-grossense Romeu Benedicto

 

TELEVISÃO

Cidade Invisível estreia neste sábado com o ator mato-grossense Romeu Benedicto

A minissérie  será exibida às 22h30, no horário local, no Programa Cine Brasil, da TV Mais, canal 17, afiliada da TV Cultura em Cuiabá

 

Estreia neste sábado a minissérie “Cidade Invisível” na TV Cultura, que traz o drama da escravidão na Amazônia e os atores mato-grossenses Romeu Benedicto, com o personagem protagonista do primeiro capítulo, Sandro Lucose, Ilto Silva, Rogério Santana e Genival Soares, além de Juliana Capilé, como preparadora do elenco, Amanda Fernandes como produtora executiva, som direto de Yuri Kopcak e Keiko Okamura na produção local deste primeiro capítulo. A sessão será exibida ás 22h30, do horário local, no Programa Cine Brasil.

As histórias silenciadas, baseadas em fatos reais, acontecem na cidade Nova Esperança, conhecida pela beleza paradisíaca. Mas não se deixe enganar pelo nome, pois esta cidade paraense, em território amazônico, esconde a violência da exploração do trabalho escravo.

São cinco episódios, e cada um deles aborda uma temática de trabalho análogo a escravidão, como a extração de madeira, trabalho infantil, prostituição e escravidão urbana ou moderna.

No primeiro episódio, o personagem Edmilson, de Romeu Benedicto, traz à tona o aliciamento para a extração de madeira na floresta amazônica.

Na minissérie ele é um dos protagonistas, que junto dos personagens Rubens, Ivonete e Alex são obrigados a abandonar os desejos de melhorar de vida, enquanto pessoas como Moacir, filho do homem mais rico da cidade, seguem sua rotina alheias às esperanças destruídas dos trabalhadores.

Sandro Lucose é o Jorge, primo do Edmilson, Genival é o nordestino Sebastião, Rogério Santana é o Pedro e Ilton Silva é o capataz chamado “Gato”. Tem também a participação especial de André de Biase e Patrícia Travassos. Como as cenas foram rodadas em Mato Grosso priorizaram atores locais.

Dirigida por Thiago Foresti e Renan Montenegro, a minissérie “Cidade Invisível” conta, em cinco episódios, as histórias entrelaçadas dos personagens que lutam para sobreviver em Nova Esperança.

“O trabalho foi massa. Ficamos 10 dias na floresta em Cotriguaçu e lá conheci acampamentos degradantes. O set foi montado no meio da mata retratando um acampamento real, e as cenas variavam a noite, às vezes madrugadas, onde pudemos vivenciar um pouco a experiência de morar naquele local. R realmente é desumano”, conta o ator Romeu Benedicto sobre a gravação que aconteceu em maio de 2016.

Edmilson é mais um trabalho nacional na conta da carreira de Romeu, e que para ele este personagem é um grito abafado no meio da floresta, de todos os trabalhadores que passam ou passaram, vivos ou não mais.

Como a maioria, Edmilson não tem estudo, nem formação profissional, não se adapta e nem encontra emprego fora da mata, e a única alternativa é a de se submeter ao trabalho degradante. E assim vira reincidente e entra num ciclo vicioso de trabalho forçado.

Infelizmente isso acontece com a maioria dos trabalhadores, que apesar de serem resgatados acabam voltando por falta de alternativas e políticas públicas de inserção das vítimas de trabalho escravo no Brasil. “Conversei com muitos trabalhadores que já tinham passado por essa situação, e elas relataram que as vezes nem tinham a noção que estavam sendo escravizados”, conta Romeu.

Edmilson é o mais experiente do grupo. Quieto, observador, sempre na espreita, ao presenciar um terrível acontecimento, resolve fugir na luta pela sua sobrevivência e acaba tendo um final surpreendente.

“Nas cenas da fuga, tive que comer corós e lagartixas. Estas eu só botei na boca, mas os corós de côco comi mesmo. Foi ralação”, lembra o ator.

A série une o entretenimento com a reflexão sobre questões atuais, corriqueiramente retratadas nos jornais. A obra estimula o debate sobre as condições de trabalho no mundo contemporâneo.

“Hoje quando compro algo eu procuro saber de onde vem, mas é difícil e as vezes incentivamos sem saber comprando algo produzido pelo trabalho escravo. Essa série e uma forma de ecoarmos esse grito e exigir formas concretas de combate à escravidão”, frisa o ator.

Realizada pela Forest Comunicação, produtora independente especializada em temas socioambientais, a série vai ser exibida como parte do programa Cine Brasil, dedicado a divulgar a nova dramaturgia brasileira. O programa vai ao ar nas madrugadas de sábado para domingo a partir do dia 6 deste mês até 2 de setembro. Fique ligado na programação do canal para não perder os próximos episódios!

 

Sandro Lucose também participa de Cidade Invisível

Sem comentários. Seja o primeiro a comentar

Assinar feed dos Comentários

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

17 + 3 =