CartaCapital:Gilmar Mendes recebeu 185 mil do Mensalão do PSDB

A Revista Carta Capital que chegou às bancas de jornais de São Paulo na tarde desta sexta-feira (27) tumultuará todo o ambiente que vem sendo milimetricamente preparado para o julgamento do famoso caso do Mensalão.

Ela apresenta documentos que indicariam que o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, quando era Advogado Geral da União (AGU), em 1998, teria recebido R$ 185 mil do chamado Mensalão do PSDB, que foi administrado pelo publicitário Marcos Valério.

Em um trabalho do jornalista Maurício Dias, a revista obteve o que seria a contabilidade paralela da campanha do atual senador Eduardo Azeredo, em 1998, quando ele concorreu à reeleição ao governo de Minas Gerais. As folhas, encadernadas, levam a assinatura de Valério. Alguns dos documentos têm firma reconhecida. No total, esta contabilidade administrou R$ 104,3 milhões. Houve um saldo positivo de R$ 69,53. A reportagem teve a contribuição também do repórter Leandro Fortes, que foi a Minas Gerais.

Nesta contabilidade também aparece a captação de recursos via empréstimos do Banco Rural, tal como aconteceu no chamado Mensalão do PT. Mas não foi o único banco a emprestar dinheiro para a campanha do tucano. Também contribuíram o BEMGE, Credireal, Comig, Copasa e a Loteria Mineira.

———————-
O valerioduto abasteceu Gilmar Mendes

CartaCapital publica na edição que chega às bancas em São Paulo nesta sexta-feira 27 uma lista inédita de beneficiários do caixa 2 da campanha à reeleição do então governador Eduardo Azeredo em 1998. O esquema foi operado pelo publicitário Marcos Valério de Souza, que assina a lista, registrada em cartório. O agora ministro do Supremo Tribunal Federal Gilmar Mendes aparece entre os beneficiários. Mendes teria recebido 185 mil reais.

Há ainda governadores, deputados e senadores na lista. Entre os doadores, empresas públicas e prefeituras proibidas de fazer doações de campanha. O banqueiro Daniel Dantas também aparece como repassador de dinheiro ao caixa 2.

A documentação foi entregue à Polícia Federal pelo advogado Dino Miraglia Filho, de Belo Horizonte. Ele defende a família da modelo Cristiana Aparecida Ferreira, assassinada em 2000. Segundo Miraglia, a morte foi “queima de arquivo”, pois a modelo participava do esquema e era escalada para transportar malas de dinheiro. Na lista, Cristiana aparece como destinatária de 1,8 milhão de reais.

No total, via empréstimos bancários, foram captados R$ 4,5 milhões, valor um pouco maior do que o registro da mais alta doação individual, feita pela Usiminas. Ela, através do próprio Eduardo Azeredo e do vice governador Walfrido Mares Guia, doou R$ 4.288.097. O banco Opportunity, através de seu dono, Daniel Dantas, e da diretora Helena Landau, pelos registros, doou R$ 460 mil.

As dez primeiras páginas do documento apresentam os doadores para a campanha. As demais 16 páginas relacionam as saídas de recursos. O registro em nome de Gilmar Ferreira Mendes surge na página 17. Procurado através da assessoria de imprensa do Supremo Tribunal Federal, o ministro Gilmar Mendes não retornou ao Jornal do Brasil.

Lista apresenta registro de suposto pagamento a Gilmar Mendes quando era advogado geral da UniãoLista apresenta registro de suposto pagamento a Gilmar Mendes quando era advogado geral da União

Toda a documentação registrada aparece em papel timbrado da agência publicitária SMP&B Comunicação, de propriedade de Marcos Valério. Esta contabilidade paralela foi assinada pelo publicitário mineiro, embora seja datada de 28 de março de 1999, só teve a firma dele reconhecida no cartório do 1º Ofício de Belo Horizonte.

 

——————–

‘Valerioduto’ abasteceu Gilmar Mendes e FHC, mostram documentos entregues à PF

Planilhas obtidas pela revista CartaCapital trazem pagamentos feitos a políticos, membros do Judiciário e empresas de comunicação

Redação da Rede Brasil Atual

São Paulo – Reportagem da revista CartaCapital que chegou hoje (27) às bancas traz documentos inéditos sobre a contabilidade do chamado “valerioduto tucano”, que ocorreu durante a campanha de reeleição do então governador de Minas Gerais Eduardo Azeredo (PSDB), em 1998. A matéria, assinada pelo repórter Leandro Fortes, mostra que receberam volumosas quantias do esquema, supostamente ilegal, personalidades do mundo político e do judiciário, além de empresas de comunicação, como a Editora Abril, que edita a Revista Veja.

Estão na lista o ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB), os ex-senadores Artur Virgílio (PSDB-AM), Jorge Bornhausen (DEM-SC), Heráclito Fortes (DEM-PI) e Antero Paes de Barros (PSDB-MT), os senadores Delcídio Amaral (PT-MS) e José Agripino Maia (DEM-RN), o governador Marconi Perillo (PSDB-GO) e os ex-governadores Joaquim Roriz (PMDB) e José Roberto Arruda (ex-DEM), ambos do Distrito Federal, entre outros. Também aparecem figuras de ponta do processo de privatização dos anos FHC, como Elena Landau, Luiz Carlos Mendonça de Barros e José Pimenta da Veiga.

Os documentos, com declarações, planilhas de pagamento e recibos comprobatórios, foram entregues ontem (26) à Superintendência da Polícia Federal em Minas Gerais. Estão todos com assinatura reconhecida em cartório do empresário Marcos Valério de Souza – que anos mais tarde apareceria como operador de esquema parecido envolvendo o PT, o suposto “mensalão”, que começa a ser julgado pelo STF no próximo dia 2.

A papelada chegou às mãos da PF por meio do criminalista Dino Miraglia Filho – advogado da família da modelo Cristiana Aparecida Ferreira, que seria ligada ao esquema e foi assassinada em um flat de Belo Horizonte em agosto de 2000. Segundo a revista, Gilmar Mendes teria recebido R$ 185 mil do esquema. Fernando Henrique Cardoso, em parceria com o filho Paulo Henrique Cardoso, R$ 573 mil. A Editora Abril, quase R$ 50 mil.

A CartaCapital ainda não colocou em seu site a matéria completa, que pode ser lida na versão impressa.

————

OUTRA OPINIÃO
Mensaleiros em ação – Gilmar Mendes: “Pensei que eles fossem me acusar de ter matado Celso Daniel…” Ou: Atenção, ministros do STF: A quadrilha os está chantageando! Ou vocês fazem o que ela quer ou ela promete difamá-los

por REINALDO AZEVEDO
VEJA on line

O jogo é pesado! Aquele negócio que se confunde com imprensa e que hoje atua a serviço do petismo, do governismo e dos mensaleiros perdeu a noção de qualquer limite. Nadando na dinheirama de governos petistas e das estatais e certa da impunidade — apostando, de resto, na lentidão da Justiça —, essa gente publica qualquer coisa, o que lhe der na telha, o que o chefe mandar.

A Carta Capital, comandada pelo notório Mino Carta, cuja independência é conhecida, certo? — resolveu anunciar a existência de uma suposta lista de beneficiários do chamado “mensalão mineiro”. Nela estariam o ministro Gilmar Mendes (claro!), a Abril (por que não? Duas parcelas de R$ 49,5 mil!!!), ministros de FHC e o próprio ex-presidente.

É estupefaciente! Há indícios de que o papelório foi forjado pela mesma quadrilha que falsificou a lista de Furnas. Saibam os senhores: bandidos estavam tentando emplacar essa nojeira na imprensa séria faz algum tempo. Todos sentiram o cheiro da farsa e caíram fora. Menos a “Carta Capital”, que, afinal, tem uma missão. Exatamente porque conhece o cheiro da farsa.

O jogo é conhecido. A revista lança a porcaria,  a rede suja na Internet, igualmente financiada por dinheiro público, encarrega-se de pôr a coisa pra circular, a difamação se espalha, gera movimento e, depois, ninguém mais fala do assunto. Trata-se de um último esforço para tentar tirar Mendes do julgamento do mensalão.

Eu não sei qual será o voto do ministro. Só ele sabe. Se Zé Dirceu tem motivos para temê-lo — daí o esforço para tirar o ministro do julgamento —, não deve ser diferente com Marcos Valério, certo? Nessa perspectiva, ele próprio poderia desejar o mesmo. Não obstante, sua defesa divulgou uma nota, que reproduzo abaixo. Volto em seguida:

NOTA À IMPRENSA
A defesa de Marcos Valério Fernandes de Souza manifesta sua perplexidade com o teor de matéria publicada nesta data pela Revista Carta Capital. Trata-se, lamentavelmente, de reportagem baseada em documentos e informações falsas. Ao que tudo indica, documentos provavelmente produzidos por pessoa notoriamente conhecida por seu envolvimento em fraudes diversas em Minas Gerais, que recentemente esteve preso acusado de estelionato e que, inclusive, seria beneficiado, de forma no mínimo curiosa, no próprio documento falsificado.

A defesa de Marcos Valério reitera seu respeito e confiança no Poder Judiciário, especialmente no Supremo Tribunal Federal, manifestando seu repúdio a qualquer dúvida que seja levantada sobre a credibilidade, a capacidade jurídica e a imparcialidade do Ministro Gilmar Mendes. Trata-se de magistrado que exerce suas funções de forma exemplar, dignificando seu exercício no Pretório Excelso.

Repita-se: a matéria baseia-se em documentos e informações falsas, cujo teor são veementemente rechaçados por Marcos Valério Fernandes de Souza. Os dois documentos constantes da publicação não foram produzidos ou assinados pelo mesmo, parecendo ser mais uma montagem do conhecido falsário.

Marcos Valério aguarda, com serenidade, o início do julgamento da Ação Penal nº 470 pelo Supremo Tribunal Federal.

Belo Horizonte, 27 de julho de 2012
Marcelo Leonardo
Advogado Criminalista e defensor de Marcos Valério

Voltei
O curioso é que a lista reproduzida na revista não traz o nome do ministro, apresente só na peça difamatória que circula na Internet. Até onde essa gente pode ir, alimentada com dinheiro público? Eis uma boa questão. Falei há pouco com o ministro. Não resta outra reação que não a ironia:
“Nossa! Que coisa! Cheguei a pensar que eles fossem me acusar de ter matado o prefeito Celso Daniel… Mas acho que eles sabem que não fui eu, como sabem que essa lista é uma farsa, coisa de bandidos!”

STF refém
A quadrilha que faz essas coisas está mandando um recado aos ministros do Supremo: aqueles que não votarem “direitinho” poderão ser vítimas da rede de difamação. E, como a gente vê, eles não distinguem verdade de mentira.

Que coisa asquerosa!

Esse mercado deve operar mais ou menos com a lógica vigente no submundo dos matadores de aluguel, cangaceiros e pistoleiros. A depender do serviço, sobe o preço. Tudo bem! O dinheiro público dá conta do recado. É um saco sem fundo. Tudo vale a pena se a grana não é pequena.

De resto, havendo uma condenação na Justiça, tem quem paga: nós!

16 Comentários

Assinar feed dos Comentários

  1. - Responder

    E agora José?…. o que fazer? Se o membro do supremo esta envolvido em um crime. Não são palavras minhas mas de uma revista de credito a Carta Capital.

  2. - Responder

    Revista de crédito???? Como assim??? A carta capital é a revista daquele senhor que tecias rasgados elogios aos governos da ditadura militar. Tenham paciência, pois assim se vê que só aumentou o desespero dos réus. Um comentário dá conta de que entre os advogados dos acusados corre uma sensação de frio na espinha. Como disse Fernado Henrique Cardoso, para a história o Lula já é um caso perdido. Ele será conhecido como o presidente do mensalão.

    • - Responder

      A VEJA , como ao globo não tem mais credibilidade nesse País. Quando Eduardo Azeredo, criador do MENSALÃO TUCANO DE BH,foi descoberto e ia ser cassado pelo seu partido , disse na TV e foi publicado no JB que FHC tambem tinha recebido grana do Marcos Valério, para sua reeleição . Depois dessa denúncia morreu o assunto e o Eduardo Azeredo não foi cassado . A publicação de carta capital tem coerência e fundamentp e deve ser APURADO COM RIGOR , como foi o feito com o PT e ALIADOS.

  3. - Responder

    O desejo de todos os brasileiros honestos, trabalhadores, éticos, decentes, etc. é que se punam todos os envolvidos em maracutaias, desonestidades, desvio de dinheiro público, corrupção, etc, independente de qual partido pertença, qual o seu nível dentro da sociedade, e qual a revista, rádio TV, etc. que os apóiem.
    O brasileiro tem que tomar vergonha na cara e manifestar o seu repúdio para essa politicagem suja, movidos por interesse próprios, e esquecendo-se dos mais necessitados e realmente aqueles que os elegeram. A classe mais pobre da sociedade.
    Não precisamos ficar manifestando insatisfação com o que acontecem em outros estados, aqui no Mato Grosso, precisamos fazer uma limpeza no judiciário, legislativo e executivo. Lembram do telhado da câmara de vereadores? 1 milhão desviado e o processo arquivado. Lembram dos 500 milhões do RIVA? Até agora não apareceu um juiz para julgar o caso. Desembargadores ganhando acima do teto permitido, venda de sentenças etc,etc,etc.
    Acorda povo, ainda dá tempo.

    César

  4. - Responder

    E agora o picareta da Revista Carta Capital vai pedir desculpas por dar curso a uma farsa evidente???? Acho que devia pedir desculpas ao Brasil inteiro porque está provado que é tudo uma farsa para favorecer os réus do mensalão, pois no documento falsificado consta uma data anterior ao ano de 2000 que é quando o Ministro Gilmar Mendes assumiu a Advocácia da Geral da União..

  5. - Responder

    PARECE QUE O ESQUEMA TENHA TAMANHO GIGANTESCO. INDAGO PORQUÊ SOMENTE AGORA FAZER CIRCULAR OS FATOS HIPOTETICAMENTE ACONTECIDO HÁ VÁRIOS ANOS?. OPORTUNISMO. CHANTAGEM?. O QUÊ?. CERTAMENTE QUE NO DIA DO JUÍZO DE DEUS, QUE NÃO TARDARÁ, O JOIO SERÁ SEPARADO DO TRIGO. PARECE-ME ESTAR CUMPRINDO AS PROFECIAS DO LIVRO SAGRADO, LEI DE DEUS, LEI QUE NENHUM MORTAL CONSEGUE MUDAR. QUE JUSTIÇA SEJA FEITA . “QUEM VIVER VERÁ”.

  6. - Responder

    infelismente toda a politica esta impregnada, mas agóra querer justificar um erro com outro, só coisa do P T PARTIDO DOS TRAMBIQUEIROS, não sei o que faz o lula ainmda , só esta querendo arrumar mais para algum parenteficar miliuonario como seu filho,. V R G O N H AS N A C I O N A L

  7. - Responder

    So tenho a dizer que o Sr Marcos Valerio, conforme relato do Sr Roberto Jefferson ( figura que dispensa apresentações), foi membro ativo do governo do PSDB. Pois é Srs defensores do cla tucano, foram eles ou voces que deram inicio o mensalao. Nao, nao senhores nao estou defendendo ninguem, pelo contrario quero o julgamento justo a todos, cadeia aos politicos corruptos.PT,PSDB,DEM, PR, PP e tantos outros. Me irrita quando alguem sai criticando negativamente so o PT, quando e evidente que a classe politica desse país connverge para os mesmo ideais, o poder pelo poder. Ou alguem aqui esquece que o PSDB, governa e governa mal, o estado de Sao Paulo a quase vinte anos? Ora senhores isso não se qualifica como uma forma de poder pelo poder, fazer tudo pelo poder como fez o PT? Não sobra um nessa roda. Agora ficam aqui os pseudo intelectuais , politicos de quinta ordem falando como se fossem autoridades, mas o macaco senta no proprio rabo para falar do rabo do outro. Rezo pelo dia em que a mascara do PSDB caira tambem, nem sito os outros. Anarquia pode ser uma utopia, porem senhores minha consciencia esta tranquila, pois graças a DEUS sou anarquista, sem etiquetas e sem sofismas, sou sim anarquista.

    • - Responder

      se tudo for invenção, fica provado e a mentira será aparecerá, mas que existe o MENSALÃO do PSDB e o DEM, ninguém pode negar…e tá na hora de começarmos a cobrar.

  8. - Responder

    Ninguém pode negar que houve o MENSALÃO do PSDB e o DEM, pedimos que sejam julgados. Desqualificar as evidências da matéria e fechar os olhos e querer justiça, injusta. Vamos esperar, se for falso, vai aparecer a VERDADE. Agora, não poder fazer denúncias porque está se encobrindo ou desviando atenções é muito fanatismo desta DIREITA PODRE, causador desta desigualdade social brutal, são reacionários e estúpidos.

  9. - Responder

    Você leram até o final? Viram a carta da defesa do Marcos Valério? Vocês acreditam mesmo no que diz a Carta Capital? Sejamos francos. Vocês acham MESMO que o PSDB tem a incompetência logística do Partido dos Trabalhadores?

  10. - Responder

    Essa denúncia é uma tentativa de se criar uma nuvem de fumaça para cobrir uma bomba que estão querendo fazer explodir durante a campanha para as eleições de 2014. Essa estratégia já é velha conhecida dos políticos brasileiros; São as falsas denúncias, a invasão de sigilos pessoais, a compra de dossiês falsos e etc. É a velha estratégia de tentar se camuflar e combater um mal menor criando a denúncia de um mal maior, e assim, até que se descubra a verdade o estrago já foi feito, cujos prejuízos, as vezes, não podem mais ser recuperados.

    • - Responder

      So porque você quer que seja assim, também não quer dizer que seja……

  11. - Responder

    Na verdade tudo indica que havia um acordo, ou seja o PT não mexeria nessas feridas do PSDB e seus asseclas, e em troca o PT daria continuidade a muitas dessas falcatruas, so que depois que o PT se envolveu o PSDB roeu a corda e denuncou, e se o PT disser o que foi acordado ele se auto-incriminará, mas deixa estar que o que é do PSDB está guardado, ou seja , condenado à extinsão , Lula vai acabar com esse partideco de mer…..

    • - Responder

      O que mais surpriende o povo amazonense,é o apareciemento que um politico que prega a moral,o ex senador e agora Prefeito de Manaus,Artur Virgilio que muito prega a moralidade em suas campanhas políticas.É verdade,que um dia a verdade escondida aparece.

  12. - Responder

    O certo é que nessa “zona” há poucas virgens e quando se trata de dinheiro, todos são da mesma religião. Fazer o que?

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

quatro + 9 =