PREFEITURA SANEAMENTO

BONDE DA TRAIRAGEM: Percival confirma traição a Jayme e apoio a Welington para o Senado. Em troca, Welington também vai driblar chapa de federal da coligação PT-PMDB-PR para investir na eleição do tucano Rogério Salles, que é vice de Percival, para a Câmara dos Deputados. Dessa vez, a traição eleitoral começa pelas cúpulas partidárias, com Percival e Welington (e talvez Mauro Mendes) se juntando para deixar Lúdio Cabral e Pedro Taques (e as autoridades da Justiça Eleitoral) com cara de palhaço

Bonde de trairagem une políticos de Rondonópolis: Percival Muniz, presidente do PPS e prefeito, Rogério Salles, candidato do PSDB a deputado federal e vice prefeito e Welington Fagundes, presidente regional do PR e candidato a senador

Bonde de trairagem une políticos de Rondonópolis: Percival Muniz, presidente do PPS e prefeito, Rogério Salles, candidato do PSDB a deputado federal e vice prefeito e Welington Fagundes, presidente regional do PR e candidato a senador

 

Bonde de trairagem une políticos de Rondonópolis: Percival Muniz, presidente do PPS e prefeito, Rogério Salles, candidato do PSDB a deputado federal e vice prefeito e Welington Fagundes, presidente regional do PR e candidato a senador

Bonde de trairagem une políticos de Rondonópolis: Percival Muniz, presidente do PPS e prefeito, Rogério Salles, candidato do PSDB a deputado federal e vice prefeito e Welington Fagundes, presidente regional do PR e candidato a senador

Para que servem os partidos políticos? Para que servem as convenções partidárias? A julgar pela atitude adotada e assumida pelos senhores Wellington Fagundes e Percival Muniz, tanto os partidos quanto as convenções não servem para nada. O que vale mesmo para esses senhores é o velho conchavo entre os caciques. Tanto que, mal começou a campanha eleitoral de 2014, e eles que são, respectivamente presidentes do PR e do PPS, em Mato Grosso, já inauguram, com a maior sem cerimônia, com a maior cara de pau, a temporada das traições partidárias em nosso Estado. Será que Pedro Taques, que lidera a chapa da oposição e pelo que consta é parceiro de Percival há muitos anos, não vai reagir, não vai falar nada, vai se comportar aceitar mudamente este abastardamento precoce de sua chapa? E Lúdio Cabral e a chapa da situação, como é que ficam, diante da notícia de que Welington Fagundes estará atravessando votos para o candidato tucano a federal, o ex-governador Rogério Salles? Parece que esta campanha de 2014 veio para nos dar lições de prostituição política. Com a palavra a Justiça Eleitoral. Confira o noticiário. (EC)

Percival confirma apoio a Wellington para senador em nome de “projeto regional” e ignora Jayme; Mendes não responde

Da Reportagem Local – Ronaldo Pacheco

OLHAR DIRETO

Embora o candidato a governador pela oposição, senador José Pedro Taques (PDT), tenha jurado por tudo quanto é sagrado que o compromisso da aliança era marchar unida “em quaisquer circunstâncias”, o presidente do PPS, prefeito Percival Muniz, de Rondonópolis, anunciou que irá apoiar o deputado federal Wellington Fagundes (PR) para o Senado, em troca de apoio ao ex-governador Rogério Salles (PSDB) à Câmara dos Deputados. Ele não vai apoiar a reeleição do ex-governador e senador Jayme Campos (DEM), companheiro de chapa do de Taques.

Fagundes diz que Jayme não trouxe “um prego para Várzea Grande” e diz ter apoio de Mauro Mendes e Percival Muniz

Dilemário nega possibilidade de PTB trocar Taques por Riva e diz que ata está aberta para proporcionais

Pode ser a primeira cisão real na base de apoio a Pedro Taques, até aqui principal favorito na disputa pelo governo de Mato Grosso.

Wellington Fagundes anunciou neste domingo (29), durante evento do PT para lançar a candidatura do ex-vereador Ludio Cabral para o governo de Mato Grosso, no auditório da Associação dos Municípios (AMM), estar sendo apoiado pelos prefeitos Percival Muniz, presidente do PPS, e Mauro Mendes, presidente do PSB, na sua batalha para chegar ao Senado, apesar de Jayme Campos ser o candidato oficial da oposição. Mendes não atendeu nem retornou às ligações da reportagem do Olhar Direto.

“Temos um compromisso firmado em nome de um projeto regional [englobando a região Sul e parte do Araguaia] em que vamos apoiar Wellington para senador. Em contrapartida, ele irá apoiar o vice-prefeito Rogério Salles, do PSDB, para deputado federal”, revelou Muniz, por telefone, para a reportagem do Olhar Direto. Ele não se considera ‘rebelde’, sob o argumento de que o diálogo sobre o tema já existia há algum tempo, em defesa do desenvolvimento de Rondonópolis e região.

“O [candidato a] governador Pedro Taques sabia disso desde o começo. Não é novidade para ele nem para a aliança”, assegurou Muniz, que é uma espécie de ‘avalista’ do compromisso de reciprocidade de apoio entre Fagundes e Rogério Salles.

Mesmo evitando criticar Jayme, a quem classifica como “um homem público de envergadura ímpar na defesa dos interesses de Mato Grosso”, o presidente do PPS afirmou que, para Rondonópolis e região, Wellington Fagundes é melhor.

Numa provocação indireta ao ex-governador e senador Blairo Maggi (PR) e deputado federal Carlos Bezerra, presidente do PMDB, ele disse que a cidade ‘Rainha do Algodão’ sairia vitoriosa, em outubro, se conseguisse eleger um senador e um deputado federal – Fagundes e Sales. Muniz deixou implícito que não considera Maggi e Bezerra como sendo de Rondonópolis.

“O projeto é válido porque os dois [Fagundes e Salles] têm forte identificação com Rondonópolis. E, se vitoriosos, vão fazer muito pela cidade e demais municípios da região Sul de Mato Grosso”, completou Percival, em nova alfinetada em Maggi e Bezerra, que teriam perdido a identidade com Rondonópolis. (Colaborou Jardel Arruda).

Sem comentários. Seja o primeiro a comentar

Assinar feed dos Comentários

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

5 × 1 =