gonçalves cordeiro

Debate na Band MT, exemplo para TVs de todo Brasil

ENOCK APRA MAHON E MAURELIO NO CONFRONTO DE IDEIAS

Foi um golaço da Band Mato Grosso. A tentativa de impeachment da presidenta Dilma Rousseff debatida com diversidade de opinião.Participei eu, o jornalista advogado e blogueiro Enock Cavalcanti, mais o advogado e poeta Eduardo Mahon, o jornalista, blogueiro e estudante de Direito Alexandre Aprá, o médico cirurgião e vereador Maurélio Ribeiro. A prática dos meios de comunicação, no Brasil, é veicularem o pensamento único, sem espaço para a diversidade de opiniões. A Band de Mato Grosso fez diferente por isso está colhendo tantos aplausos. Seria bom se, até o desfecho das votações, em Brasilia, debates como esse se desdobrassem pelo Brasil afora, em respeito ao cidadão telespectador. Por que a Rede Globo não tem coragem de promover uma discussão como essa, sequer na telinha da Globo News? Mais do que covardia editorial é comprometimento com o golpe. Já pensou, em um debate, Luiz Carlos Azenha e Tico Santa Cruz, argumentando contra o impeachment, e Reinaldo Azevedo e o roqueiro Lobão, argumentando pela cassação da Dilma Rousseff? Ia dar pique de audiência. Mas o jornalista Ali Kamel é um golpista covarde. O jornalista William Bonner é um golpista covarde. Os irmãos Marinho, que comandam a Rede Globo são golpistas covardes. Mesmo o Fernando Mitre, o Ricardo Boechat, que falam tanto da coragem da Rede Bandeirantes de Televisão de promoverem debates, não tiveram a coragem que tiveram os srs. Pedro Neves, Marco Polo Pereira e Vinicius Carvalho, de encararem esse desafio, nessa pequena emissora que é a Band Mato Grosso, em face dos oligopólios da comunicação que existem no Brasil. Com boa vontade e com respeito ao cidadãos e cidadãs brasileiras, debates como esses poderiam ser promovidos todos os dias, em face da situação que se vive no Brasil. Mas cadê a coragem? Cadê o compromisso com a verdade do jornalismo e com a garantia efetiva da liberdade de opinião. Destaque apenas para o jornalista Heródoto Barbeiro que através do Jornal da Record News tem conseguido fazer a diferença, se bem que com espaço de tempo menor e sem reunir as grandes figuras, montando confrontos como o que sugeri acima. Os juristas Wadih Damous e José Eduardo Cardozo, contra Janaína Paschoal e Hélio Bicudo, debatendo durante duas horas de televisão. Poder-se-ia formar dezenas de confrontos como esse, com a participação de nomes de peso nacional e internacional. Mas a covardia editorial e a falta de compromisso verdadeiro com a liberdade de expressão impede que isso aconteça e faz da nossa grande mídia um arremedo. A TV Brasil, o TV NBR e outras emissoras governamentais e estatais, como a TV Senado, a Tv Câmara e a TV Justiça também poderiam cumprir esse papel, promovendo estes debates, mas sobra incompetência por todos os lados.

2 Comentários

Assinar feed dos Comentários

  1. - Responder

    Muito bom o Debate ! Parabéns Enock e parabéns ao Jornalista Alexandre ! Faz tempo que não via um debate tão bom assim.

    FORA GOLPE !!! FORA MÍDIA MANIPULADORA !!!

    • - Responder

      Isso aí… Fora o golpe…
      Viva o petrolão..
      Viva o descontrole da inflação…
      Viva as pedaladas que engordaram as contas dos programas sociais justo em ano eleitoral…
      Viva os maiores escândalos de corrupção da nossa história…
      Afinal… Se é petista, é santo…
      Se o FHC roubou, o lula, a Dilma e quem os suceder pode roubar também…
      A corrupção não nasceu com o PT, assim, se ninguém lá atrás foi punido, não se pode punir. Dilma…
      Não posso falar mal do PT pois eu já furei fila, já comprei recibo pra deduzir imposto de renda, logo eu não tenho moral para falar de quem roubou bilhões…
      Viva a visão torta da defesa da meia modalidade…

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

quinze − 10 =

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.