ARENA PANTANAL É NOSSA – Atividades esportivas e culturais demonstram que a Arena de Maggi e Silval não é um elefante branco. O atual governador Zé Pedro Taques tem sido sábio em movimentar o importante espaço que ficou como legado das administrações de Maggi e Silval.

3 O governador Pedro Taques paparicado pela multidão que frequenta a Arena Pantanal. Ele tem sido sábio em movimentar o importante espaço que ficou como legado das administrações de Maggi e  Silval. Foto Mayke Toscano GC Com

3
O governador Zé Pedro Taques paparicado pela multidão que frequenta a Arena Pantanal. Ele tem sido sábio em movimentar o importante espaço que ficou como legado das administrações de Maggi e
Silval. Foto Mayke Toscano GC Com

 

Legado

Arena Pantanal é nossa, viva!

Atividades esportivas e culturais demonstram que a Arena de Maggi e Silval não é um elefante branco

JOÃO BOSQUO

DC Ilustrado – Diário de Cuiabá

 

Um dos maiores legados da Copa do Mundo 2014 para Cuiabá, sendo dúvida está sendo a Arena Pantanal. Trincheiras, viadutos impactam a paisagem urbana, promovem conforto aos motoristas, tão somente (embora algumas obras promovam mais transtorno – na época das chuvas – como é o caso do viaduto da UFMT). O outro legado importante seria o BRT, oops!, VLT, que ficou apenas nos comerciais televisivos e agora impactam a cidade de outra forma, negativamente.

A Arena Pantanal é uma obra que vem cumprindo seu papel, conforme o projeto idealizado por arquitetos, urbanistas e, porque não, gestores públicos, no caso os governadores Blairo Maggi e Silval Barbosa, contrariando as previsões dos eternos pessimistas da ESPN e Kfouris da vida que diziam que a Arena seria um elefante branco. Contra esse discurso preconceituoso do jornalismo sulista que acredita que o Brasil começa e termina em São Paulo, entre nós, é bom registrar, ergueu-se o arquiteto e professor universitário José Antônio Lemos Santos, conforme deixou consignado em diversos, inúmeros artigos publicados aqui neste Diário de Cuiabá.

José Antônio Lemos, lembramos aqui, numa avaliação quando da realização da Copa, escreveu: “E aquela cidade distante, no coração do continente, aquela coisinha estranha no ninho não era um patinho feio, mas, na verdade, um belo tuiuiú, desengonçado ao levantar voo, mas que voou bonito, serenando nos céus pantaneiros. Quanto vale uma simples citação no New York Times, um dos jornais mais importantes do mundo? E que tal duas matérias? A primeira, não muito simpática é verdade, mas bastou iniciar a Copa do Pantanal para o poderoso jornal se render exaltando a boa surpresa da “menor das cidades-sede” em nova e bela matéria”.

Essa foi a primeira missão, como bem destaca o arquiteto: tornar Cuiabá mais próxima de outros centros brasileiros e ao mesmo tempo do resto do mundo. E outro reflexo positivo disso ainda estamos vivenciado. Recentemente foi inaugurado o Várzea Grande Shopping, enquanto aqui em Cuiabá as obras do Shopping Estação continuam em andamento. Esses empreendimentos – vamos combinar – são fruto dessa ousadia, notadamente do governador Blairo Maggi e, depois dele, de Silval Barbosa, em tornar Cuiabá sede da Copa do Mundo.

Porque estamos falando tudo isso, porque acabamos de ler no site do Governo de Mato Grosso um release produzido pela jornalista Bruna Pinheiro, que integra a assessoria da Secretaria de Cidades, no qual faz um balanço das atividades desenvolvidas no mês de novembro, as quais levaram até a Arena uma multidão somada de 100 mil pessoas.

Segundo a jornalista, a Arena Pantanal recebeu em novembro desde encontro de carros antigos até a final do Campeonato Brasileiro de Futebol Americano, que cravou o recorde nacional de público. Foram 15 mil pessoas assistindo a partida entre o Cuiabá Arsenal e o Coritiba Crocodiles.

Os números divulgados são:  4º #VemPraArena, 25 mil; Mutirão de Negócios CDL, 25 mil; Encontro de Carros Antigos, 18 mil; Final Campeonato Brasileiro de Futebol Americano, 15 mil; Feira Cultural – Colégio Isaac Newton, 8 mil; Mutirão Especial – 8ª Vara, 3,5 mil e dia Dia do Músico, duas mil pessoas.

Nos informa também o atual governo que, em dezembro, a Arena Pantanal continua com agenda cheia. Ontem, abriu com o amistoso internacional entre Brasil e Nova Zelândia (Por favor, veja o resultado nas páginas de esportes), num jogo preparatório para as Olímpiadas de 2016. Nos dias 4, 5 e 6 de dezembro acontece o Pantanal Esporte e Lazer, que será uma feira com palestras, serviços e oferta de produtos dedicados à saúde e qualidade de vida. Nos dias 16 a 20 acontece o #VemPraArena de Natal. Já entre 18 a 20 de dezembro ocorre o Startup Weekend, evento internacional que já conta com mais de duas mil edições realizadas em 130 países e 678 cidades do mundo.

Sem comentários. Seja o primeiro a comentar

Assinar feed dos Comentários

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

quatro × 2 =