AQUI NÃO TEM OPINIÃO: Lúcio Sorge, falando na TV do jornal A Gazeta, investe contra a elite predadora que mama nos cofres públicos do Estado. “Bolsa família é uma miséria diante do que essa elite (da Assembleia Legislativa, do Ministério Público, do Tribunal de Contas, do Poder Judiciário) recebe todo mês”, reclama o Lúcio Sorge. Até agora, no entanto, Lucio Sorge não arriscou um comentário sobre o escândalo das gráficas, em que seu patrão João Dorileo Leal e também o jornal A Gazeta, denunciados pelo MP, estão mergulhados até o topete

Lúcio Sorge e a elite predadora

Por Enock Cavalcanti

 

Meus amigos, meus inimigos: no Jornal do Meio Dia, da TV Record, que integra o Grupo Gazeta de Comunicação, o jornalista Lúcio Sorge segue cumprindo seu papel de pontificar como uma das vozes “moralistas” do grupo de comunicação comandado pelo empresário João Dorileo Leal.

O Lúcio Sorge fala grosso, fala bonito. O efeito daquele homenzarrão botando o dedo em algumas feridas que marcam a nossa convivência social é sempre impactante.

Pena que, como assalariado do João Dorileo Leal, o Lúcio Sorgee não possa falar do escândalo das gráficas aparentemente usadas para assaltar os cofres da Assembleia Legislativa, em um esquema do qual teria participado, segundo a denúncia do Ministério Público, o jornal A Gazeta e também o empresário João Dorileo Leal.

Imagino que, lá com seus botões, o Lúcio Sorge não concorde com a bandalheira que fica evidente para quem fica sabendo dos fatos e até da fabricação de falsos jornais que o Dorileo teria mandado fazer para tentar iludir os diligentes promotores do Ministério Público, segundo denunciado pelos próprios promotores em sua alentada ação apresentada perante o juiz Luis Aparecido Bertolucci.

Mas o que fazer? O Lúcio Sorge tem um blogue mas que continua sendo o blogue de um assalariado. E ele mantém esse seu blogue, então, em limites muito estreitos.

A saia justa do Lúcio Sorge, que seria bom ver espalhando brasa em todas as direções, a gente entende.

Mas, vamos combinar: se o Lúcio Sorge está tolhido, a grande mídia mato-grossense tá fazendo um papelão indecente quando fica por aí, fingindo que está cobrindo a apuração do esquema das gráficas, mas evitando falar do possível envolvimento do Dorileo, denunciado pelo MP, que é a grande novidade deste novo capítulo dos escândalos mato-grossenses. Ora, essa é a fase da investigação e, como gosta de dizer o governador Zé Pedro Taques, vivemos num país em que até os cachorros investigam, quando atuam como farejadores da Polícia. Por que é que nossa imprensa também não pode investigar? Nesse caso, parece que a nossa imprensa resolveu se mutilar.

Daria até para falar em uma “formação de quadrilha” para ocultar a informação do leitor/contribuinte/eleitor/cidadão que é quem paga toda a conta e, afinal de contas, sustenta esta imprensa que nós temos.

Vejam que no Aparte desta segunda-feira, do jornal A Gazeta, outros jornalistas assalariados pelo Dorileo tiveram que escrever e publicar o seguinte, nesta segunda-feira, 23 de setembro:

A julgar pela qualidade da petição apresentada à Justiça, fica evidente que o Ministério Público só apresentou ação civil pública acionando gráficas e também deputados e ex-deputados estaduais como retaliação à aprovação da CPI do MPE na Assembleia Legislativa. Nos bastidores, a informação que circula é de que além de servir como recado, a propositura da ação civil pública teve como objetivo criar ainda mais animosidade entre os parlamentares e o procurador-geral de Justiça, Paulo Prado, depois da conversa de que estava sendo estudada até mesmo a destituição dele do cargo. Seria o grupo de oposição a Prado entrando em ação.’

Quer dizer, toda aquela grana desviada pelas gráficas, seria apenas um pano de fundo para uma brigalhada política puxada pelos promotores de Justiça para retalhar alguns deputados por conta da investigação das cartas de crédito.

O jornal A Gazeta e o João Dorileo Leal, nesse exato momento, estão me lembrando aquela ladrãozinho da história que, quando se vê flagrado batendo uma carteira no meio da multidão, para criar uma cortina de fumaça e conseguir escapar, corre e sai gritando: “Pega ladrão! Pega ladrão!”

Coisa mais feia. Mas esse é jornalismo que nós temos, neste Mato Grosso, no ano da graça de Nosso Senhor Jesus Cristo de 2015. Sim, com o jornal A Gazeta tendo uma baita estrutura que lhe é fornecida por grandes e poderosos anunciantes, e também por milhares e milhares de leitores, enquanto a imprensa alternativa ainda consegue se fazer ouvir sabe deus lá como. Ah, se não fosse o milagre da internet…

João Dorileo Leal e Lúcio Sorge

João Dorileo Leal e Lúcio Sorge

MP denuncia João Dorileo, A Gazeta, Riva e outros por possível prática de corrupção em esquema de gráficas… by Enock Cavalcanti

Sem comentários. Seja o primeiro a comentar

Assinar feed dos Comentários

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

8 + vinte =