PREFEITURA SANEAMENTO

A FORÇA DA MULHER: Após 29 anos de atuação no Poder Judiciário, sendo quase 24 dedicados à magistratura, Antônia Siqueira assumiu a função de desembargadora no TJ-MT. A magistrada, que completou 60 anos, no dia 24 de novembro, passa a ser a nona a compor o atual Tribunal Pleno. “Que orgulho, mais uma mulher. Logo, se Deus quiser, completaremos um terço. Sou mãe de três mulheres, sou mulher com muito orgulho e isso é mais um ponto que me deixa ainda mais feliz”, disse a nova desembargadora

Discurso de posse

Discurso de posse da desembargadora Antônia

A emoção marcou a sessão solene de posse da juíza Antônia Siqueira Gonçalves Rodrigues como desembargadora do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT), realizada no final da tarde desta sexta-feira (11 de dezembro), em Cuiab

 

“Agradeço, meu Deus, por esta imensa e indescritível emoção de chegar a este instante me sentindo como aquela que subiu ao pódio, como aquela viajante parada para se deleitar às margens de um riacho, olha para trás, vislumbra a longa estrada percorrida, recorda dos passos lentos, mas firmes que deu, pensa nas pessoas com que conviveu certa de que sozinha jamais teria chegado até aqui… E se emociona ao pensar como tudo, tudo valeu muito a pena!”, enfatizou a nova desembargadora, que fez um pronunciamento repleto de agradecimentos a Deus, aos familiares, aos amigos, aos ex-professores e muitos colegas de trabalho.

 

Mato-grossense de Barão de Melgaço (113km ao sul de Cuiabá), a magistrada, formada pela Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), foi eleita pelo Tribunal Pleno pelo critério de merecimento. “Afirmo aos meus pares que vim para somar. Para trabalhar em união! Vim para construir pontes e não muros. Sei que essa mais alta Corte da Justiça é formada por homens e mulheres, mas acima de tudo por grandes magistrados que, independentemente, de credo, raça, gênero, aplicam a lei e distribuem a paz social, tendo em mente que sua função primeira é dirimir conflitos. Jamais poderei esquecer que por trás dos inúmeros processos que abarrotam os gabinetes se encontram os jurisdicionados – os processos são vidas clamando por justiça!”.

Juramento

Juramento

 

 

A saudação à magistrada foi feita pela desembargadora Maria Helena Gargaglione Póvoas, presidente do Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso. “Sinto-me lisonjeada por ter sido escolhida para, em nome dos meus pares, saudá-la nesse momento tão especial da sua vida e da sua carreira. O Poder Judiciário, tão precioso ao estado democrático de direito, se orgulha e se engrandece com a chegada de vossa excelência. A ascensão de mais uma mulher é um motivo de comemoração. Sua experiência na magistratura agora ganhará novos contornos”, salientou Maria Helena, ao ressaltar características como caráter e honradez da empossada. “Magistrada sempre brilhante e, acima de tudo, sempre comprometida com os valores da carreira que abraçou. Seja bem-vinda, desembargadora Antônia. Que seu novo caminho seja coroado de glória e abençoado por Deus”.

 

Durante a solenidade, Antônia Siqueira prestou o juramento de posse. “Prometo exercer neste sodalício o cargo de desembargadora, com honra, zelo, dignidade e competência, cumprindo e fazendo cumprir as lei, sob os influxos da moral, do direito e da justiça”. Na sequência, a diretora-geral do TJMT, Suseth Lazarini, fez a leitura do termo de posse e o presidente do TJMT, Paulo da Cunha, declarou empossada a magistrada no cargo de desembargadora. Em seguida, a nova desembargadora recebeu as vestes talares e tomou seu assento no Plenário. Na oportunidade, Antônia Siqueira também foi condecorada com o Colar do Mérito Judiciário.

 

Recebendo o colar

Recebendo o colar

 

A magistrada, que completou 60 anos, no dia 24 de novembro, passa a ser a nona a compor o atual Tribunal Pleno. “Que orgulho, mais uma mulher. Logo, se Deus quiser, completaremos um terço. Sou mãe de três mulheres, sou mulher com muito orgulho e isso é mais um ponto que me deixa ainda mais feliz”. Ainda conforme a nova desembargadora, ser juíza foi um sonho acalentado e perseguido com muito empenho e afinco. Já se tornar desembargadora, para ela, é um presente do destino, uma dádiva. “Entre tantos que batalham com retidão, com esmero, com honestidade, estou eu assumindo o desembargo, a coroação da nossa carreira”, observou.

 

A posse da nova desembargadora foi conduzida pelo presidente do TJMT, desembargador Paulo da Cunha, e contou com a presença de muitos parentes, amigos e autoridades municipais e estaduais. E neste momento singular da vida da nova desembargadora, a família dela, é claro, estava lá para prestigiá-la. Uma de suas sobrinhas, Rita Cássia Gonçalves, prestou uma homenagem cantando as músicas ‘Tocando em Frente’, de Almir Sater, e ‘O que é, o que é’, de Gonzaguinha.

 

“O Tribunal de Justiça está honrado em receber tão ilustre colega nesta Corte. A cerimônia de posse da desembargadora foi um momento de grande emoção, uma das mais bonitas que já acompanhei”, citou Paulo da Cunha. Emocionada, a vice-presidente do TJMT, desembargadora Clarice Claudino da Silva, demonstrou toda admiração que tem pela nova desembargadora. “É uma imensa alegria ter a desembargadora como integrante da nossa Corte, não apenas por ser mulher, mas pela qualidade do ser humano. Antônia possui uma visão privilegiada que engrandecerá as decisões deste Tribunal”.

 

Homenageada durante o discurso de posse, a desembargadora aposentada Shelma Lombardi de Kato, primeira juíza, desembargadora e presidente de Tribunal do Brasil, falou sobre a nova desembargadora do TJMT. “Recebo com alegria esta homenagem, pois vem de uma profissional dedicada, comprometida e que lutou muito para alcançar o posto que sonhou a vida toda. Ela merece”.

Melissa Vincentim

Melissa Vincentim

 

Em lágrimas, uma das filhas da nova desembargadora, Melissa Gonçalves Rodrigues Vicentim, resumiu a felicidade da família. “Este é um dia sublime. É a realização de um sonho profissional que compartilhamos com nossa mãe desde muito pequenas. Fico emocionada de ver a pessoa que mais amo e admiro chegando ao último degrau da carreira. E o melhor é saber que ela está preparada para enfrentar essa nova empreitada com grande responsabilidade e o afinco de sempre”.

 

Para o defensor público-geral do Estado, Djalma Sabo Mendes, a posse é a formalização da competência da desembargadora. “Ganha o TJ, ganha a sociedade mato-grossense e nós jurisdicionados que contamos com mais uma desembargadora de peso, que reflete o êxito que obteve ao longo desses 29 anos de Judiciário”.

 

Trajetória – A primeira comarca em que Antônia Siqueira atuou como juíza, em 1992, foi a de Rosário Oeste (128km ao norte de Cuiabá), onde ficou por cinco anos. Em seguida foi para a Comarca de Jaciara (144km ao sul), posteriormente para Cáceres (225km a oeste) e depois para Várzea Grande, onde atuou na Vara Criminal por 14 anos. Há dois anos a magistrada foi removida para Cuiabá, onde ocupava a Terceira Vara da Fazenda Pública.

 

Familiares

Familiares

Critério – A ascensão de Antônia Siqueira Gonçalves Rodrigues se deu pelo critério de merecimento. Ela agora ocupa a vaga aberta com a aposentadoria voluntária do desembargador Adilson Polegato de Freitas, em 2 de julho de 2015.

 

A magistrada é a primeira a tomar posse como desembargadora na gestão do presidente Paulo da Cunha. A última promoção havia ocorrido em 27 de fevereiro de 2014, quando Nilza Maria Pôssas de Carvalho tomou posse como desembargadora do TJMT.

 

 

FONTE TJMT

Sem comentários. Seja o primeiro a comentar

Assinar feed dos Comentários

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

um + 13 =