AMEAÇA DE ARROCHO: Fórum Sindical rejeita alteração na data de pagamento dos servidores públicos e outras mudanças propostas pelos secretários Paulo Taques, Marcos Marrafon e Júlio Modesto, da equipe do governador Zé Pedro Taques. Durante a reunião, as especulações divulgadas pela imprensa, se confirmaram e os secretários do governador Pedro Taques (PSDB), alegando dificuldades de caixa, apresentaram proposta para alterar, a partir de fevereiro de 2016, a data de pagamento do salário dos servidores, passando o pagamento do último dia útil do mês trabalhado, para todo dia 10 do mês subsequente. Essa mudança promoverá uma retenção salarial de 10 dias em cada mês trabalhado do servidor.

Reunião entre sindicalistas e secretários de Zé Pedro Taques

Reunião entre sindicalistas e secretários de Zé Pedro Taques

A ASSOADE e demais Associações dos militares estaduais participaram de reunião organizada pelo Fórum Sindical e Equipe Econômica do Governador Pedro Taques, ocorrida na manhã desta terça-feira, 29 de dezembro, no auditório da SEPLAN.

No encontro, os secretários Paulo Taques (Casa Civil), Marcos Marrafon (Planejamento) e Júlio Modesto (Gestão) atenderam a uma reivindicação do Fórum Sindical para esclarecerem possíveis mudanças na forma e nos prazos de pagamento dos servidores públicos do Executivo, que estariam sendo veiculadas na imprensa, sem que os dirigentes das associações ou dos sindicatos, tomassem parte na discussão.

Durante a reunião, as especulações divulgadas pela imprensa, se confirmaram e os secretários do governador Pedro Taques (PSDB), alegando dificuldades de caixa, apresentaram proposta para alterar, a partir de fevereiro de 2016, a data de pagamento do salário dos servidores, passando o pagamento do último dia útil do mês trabalhado, para todo dia 10 do mês subsequente. Essa mudança promoverá uma retenção salarial de 10 dias em cada mês trabalhado do servidor.

O Governo do Estado também propôs – e os presidentes das associações dos militares e sindicalistas rejeitaram por unanimidade – trocar a forma de pagamento do 13° salário que, desde o final do governo Maggi, vem sendo realizada no mês de aniversário do servidor. A intenção do governador Zé Pedro Taques é realizar esse pagamento apenas no final do ano de 2016, em duas parcelas, nos meses de novembro e dezembro.

Além disso, os três secretários aventaram para a possibilidade de o Governo não honrar o pagamento da diferença salarial da RGA de 2014, que havia sido acordado com o governador Zé Pedro Taques para o mês de janeiro de 2016. A equipe econômica propôs um novo parcelamento dessa diferença salarial, desta feita, em seis vezes a partir de janeiro de 2016. Essa possibilidade também não agradou aos representantes do Fórum Sindical e foi rejeitada.

No encontro, foi dito também, pelos três porta-vozes do atual governador, para espanto dos dirigentes, que “dificilmente” a administração estadual terá condições de cumprir com o pagamento da reposição inflacionária, prevista em lei e na constituição federal e que atualmente está estimada em aproximadamente 11% para o mês maio de 2016. Essa medida pegou a todos de surpresa, pois o Governador Pedro Taques sempre garantiu ser um cumpridor de lei e os dirigentes não imaginavam que justo agora que um ex-servidor público assumiu o Governo, uma garantia constitucional conquistada no ano de 2004, fosse ser descumprida.

A falta de sintonia entre as propostas do governo e a difícil situação já vivenciada pelos representantes dos servidores, apontou para a necessidade da formatação de uma nova proposta pelo Governo do Estado e para a realização de uma nova rodada de negociações, já definida para a primeira quinzena de janeiro.

Os representantes do Fórum Sindical apontaram aos secretários de Estado várias questões de discordância com a proposta ora apresentada, dentre elas o fato do governo já estar descumprindo um acordo em relação a diferença da RGA de 2014 que deveria ter sido paga em maio de 2015. Os dirigentes também apontaram para o perigo do governo não conseguir honrar com o pagamento do 13º salário no final, já que ele está com dificuldades de honrar esse pagamento mensalmente.

Outro ponto apontado pelos presidentes das associações dos militares e sindicalistas foi a diferença de tratamento existente no Estado de Mato Grosso entre os servidores do executivo e dos demais poderes, como Judiciário, Legislativo, Ministério Público e Tribunal de Contas, que não terão as suas datas de pagamento alteradas, nem tão pouco correrão o risco de não receberem a RGA de 2015 em maio de 2016.

Os dirigentes das associações e sindicatos finalizaram a reunião e acordaram que tão logo seja realizada a segunda rodada de negociação, irão convocar uma assembleia geral de todos os servidores públicos para tirarem um encaminhamento comum.

Com informações da ASSOF, ASSOADE e ACSMT

 

 

forum sindical rejeita arrocho salarial na pagina do enock

forum sindical se reune com secretários na pagina do e - dez 2015

 

————

OLHAR DIRETO SÓ DIVULGOU A VERSÃO OFICIAL DA REUNIÃO:

(Como é que se comportará a nossa mídia nesta cobertura? Voltaremos ao assunto)

 

Paulo Taques, Modesto e Marrafon se reúnem com Fórum Sindical para discutir calendário salarial

Da Redação – Jardel P. Arruda

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

Paulo Taques, Modesto e Marrafon se reúnem com Fórum Sindical para discutir calendário salarial

O calendário de pagamento dos servidores estaduais para 2016 só será divulgado em janeiro. Os secretários de Estado da Casa Civil, Paulo Taques, de Gestão, Julio Modesto, de Planejamento, Marco Marrafon, e o adjunto da Secretaria de Fazenda, Carlos Rocha, reuniram-se nesta terça-feira (29) com o Fórum Sindical para discutir o assunto e toda a situação financeira do Estado.De acordo com informações do Governo, devido à possibilidade de alteração da data, o calendário de pagamentos salariais de 2016, que seria divulgado ainda esta semana, deverá ser publicado apenas no início de janeiro do próximo ano, possibilitando mais tempo para as discussões com os sindicatos.O estudo será feito em diálogo com os sindicatos. Um dos objetivos é manter os servidores informados sobre as decisões do Governo a cerca do calendário salarial. “Houve muitas informações infundadas de que o Governo do Estado ia mudar a data de pagamento, como se isso já estivesse estabelecido. Essa reunião foi essencial para entendermos que isso não ocorreu. Tudo ainda está sendo discutido. Vamos nos reunir novamente outras vezes, mantendo o diálogo, de modo a decidirmos juntos o que será feito”, disse Edmundo Cezar Leite, do Fórum Sindical.

Uma nova reunião entre Governo e Fórum Sindical dever ser marcada para janeiro. “Estamos discutindo várias propostas visando economia às contas do Governo da mesma maneira como resolvemos tudo desde o início dessa nova gestão, ou seja, em conjunto com os sindicatos e informando os servidores. Nenhuma atitude de implantação será feita antes desses diálogos. Mas uma coisa foi deixada bem clara: o que o Estado precisar fazer e adotar como medida para garantir o salário do servidor em dia, será feito”, afirmou o secretário de Gestão, Julio Modesto.

6 Comentários

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 191.247.226.6 - Responder

    Enock, o sr poderia fazer uma reportagem só listando todos os penduricalhos recebidos por Judiciário, PGE, MP. Somados, esses valores podem nos dar uma ideia do quanto o Estado economizaria.
    Outro ponto, é um levantamento da nomeação de comissionados. Será que hoje são apenas os dois mil que disseram que estariam de bom tamanho?
    Abraços

  2. - IP 191.53.20.83 - Responder

    Eu sou servidora pública e francamente não entendo essa situação que o Estado está passando. Quer dizer que o governador está com caixa baixo pra pagar servidor? Como pois não houve tanta nomeação para novos servidores se houve concurso público é pqe estava programado na lei orçamentária.

  3. - IP 191.247.226.64 - Responder

    O que acho é que houve mta contratação de servidores temporários e de cargos comissionados ou então o governador Pedro Taques está usando os recursos para pagamento de empreiteiras e das pessoas que custearam sua campanha política. Porque não houve nenhuma mudança qto a novos servidores públicos. Tdo que é realizado no Estado tem que estar previsto na lei orçamentária. Então se o caixa está baixo é pqe a máquina administrativa está abarrotado de contratação temporária e cargos comissionados.

  4. - IP 189.59.37.13 - Responder

    O Enock está descontente com a administração de Mato Grosso porque petista gosta mesmo é do arrocho do ajuste fiscal que a dilmentira está aplicando no povo brasileiro.

    E o pior é que o arrocho da mentirosa é por culpa da incompetência dela mesma.

  5. - IP 201.86.181.62 - Responder

    Agora ficou legal, Enock, só falta ficar a favor do impechiment da mentirosa.

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

cinco + dezessete =