Alfredo Menezes diz que Silval tenta inovar, como bom moço da política, sem dá chute na canela de nenhuma das lideranças que reuniu sob o chapéu de seu governo. A incógnita é saber até quando este esquema sobreviverá neste MT de tantos egos inflados.


É fácil perceber que Alfredo da Mota Menezes se diverte imensamente com o que faz. Historiador e analista político do jornal A Gazeta, de Cuiabá, Alfredo é um daqueles aposentados que não consegue parar de produzir e que se mostra cada vez mais ativo – seja avaliando a conjuntura política e economica de nosso Estado, seja mergulhando em pesquisas históricas cada vez mais amplas.

Esta semana Alfredo da Mota Menezes esteve na redação da PÁGINA DO E, para mais um daqueles seus papos amistosos, descontraídos e sempre reveladores. Fiz questão de gravar em vídeo alguns trechos da conversa que divulgo aqui para a curtição daquelas raros e seletos cidadãos que descobriram esta PÁGINA DO E e, através do nosso olhar, vão acompanhando o lento caminhar da vida desta nossa tão privilegiada e tão problemática região de Mato Grosso.

Pela conversa, voce vai ficar sabendo que Alfredo já está pesquisando material para um novo livro, no qual pretende voltar a esmiuçar fatos e circunstancias que cercaram a Guerra do Paraguai. Dessa vez, ele pretende mostrar que a Inglaterra, ao contrário do que muitos dizem, não teve muita coisa a ver com este violento conflito que marcou o período do imperío em nosso País.

Voces também vão ver que o olhar de Alfredo da Mota Menezes, quando se trata das perspectivas economicas de Mato Grosso é único. Ele é daqueles que aposta que uma boa opção para a afirmação de nosso Estado como um dos mais importantes pólos do desenvolvimento brasileiro é uma forte integração com os demais países da América do Sul, que não só alavancaria todos os negócios em Mato Grosso como abriria, além do mais, um espaço impar para a afirmação macroeconomica de todo o Brasil, no contexto internacional.

Ouvir Alfredo da Mota Menezes falar e sonhar e prever e especular, é um exercício sempre estimulante. Daí o prazer com que divulgo mais este vídeo produzido, humildemente, por esta PÁGINA DO E.

Sem comentários. Seja o primeiro a comentar

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 189.59.46.165 - Responder

    esse professor me parece grande enrolar, tentando justificar o injustificável, esse saco de gatos que é o governo do sival…

  2. - IP 201.11.176.26 - Responder

    Enquanto isso, na ansia de agradar as todos, o governador troca os pés pelas mãos…como exemplo vejam o que ocorre no concurso para gestor governamental de mato grosso. É sabido que o referido concurso não saiu do papel. Até hoje não houve nenhuma nomeação. A alegação da SAD é que existem liminares judiciais que estão emperrando o certame. A verdade é que duas coisas estão acontecendo para que esse concurso não desemperre:
    1) A incompetência e apatia da SAD e da PGE em resolver os entraves jurídicos que estão gerando várias liminares, muitas delas em virtude das lambanças que ocorrem na UNEMAT, incapaz que promover um concurso sem problemas, tais como correções e liberação de gabaritos equivocados;
    2) Outro problema que gerou muita controvérsia foi a interferência política de um certo deputado estadual que para proteger seu afilhado político já promoveu junto a SAD e a PGE até anulação de questão de prova dissertativa, o que é pior, como deram com os burros n’agua agora emperram o concurso para refazer o curso de formação para tal pimpolho e para poder nomeá-lo, mesmo sem decisão definitiva da justiça, ou seja, através de liminar querem nomear candidatos que não sabem se no futuro essa mesma liminar será revogada ou não. Temos aí uma interferência política que está gerando uma insegurança jurídica, pois, candidatos que por ventura fossem considerados aprovados no certame não tomariam posse, de acordo com parecer da PGE, pois as vagas seriam reservadas para os liminaristas. É uma vergonha que precisa ser esclarecida e desnudada para toda sociedade.

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

onze − nove =