AINDA HÁ JUÍZES EM MATO GROSSO: Desembargador Juvenal Pereira diz que greve dos trabalhadores da Educação é legal. Um notável contraponto às decisões dos julgadores Alberto Ferreira, Pedro Sakamoto e Serly Marcondes, alinhados ideológicamente com o atual governador de plantão, Zé Pedro Taques, que pisoteia a Constituição. LEIA A DECISÃO

Desembargador Juvenal Pereira nega pedido de Zé Pedro Taques e diz que greve dos trabalhadores da Educação… by Enock Cavalcanti

Juvenal Pereira, desembargador do Tribunal de Justiça de Mato Grosso

Juvenal Pereira, desembargador do Tribunal de Justiça de Mato Grosso

O Estado de Mato Grosso, com toda a truculência que vem marcando a gestão do tucano Zé Pedro Taques, ex-professor de Direito Constitucional que está virando mestre-pisoteador da Constituição, queria o retorno imediato dos professores e demais trabalhadores da Educação ao trabalho mas o desembargador Juvenal Pereira, corajosamente, disse não.

Sim, para surpresa de muitos, o Tribunal de Justiça de Mato Grosso indeferiu, nesta terça-feira (28), o pedido feito pelo governador tucano Zé Pedro Taques para que fosse declarada ilegal a greve dos servidores públicos da Educação, iniciada em 31 de maio por conta do não pagamento integral da Revisão Geral Anual (RGA), fixada em 11,28%. Sim, ainda há juízes em Mato Grosso.

No Tribunal de Justiça de nosso Estado não existem apenas julgadores alinhados ideologicamente com o governador de plantão. A decisão tem caráter liminar, e tem a grife notável do desembargador Juvenal Pereira da Silva, que apontou que o movimento dos servidores estaduais da Educação é legítimo.

O presidente do Sintep, professor Henrique Lopes, que é lá de Alta Floresta, claro que comemorou a decisão do desembargador Juvenal e disse que ela dá respaldo ao movimento grevista, que irá completar um mês nesta semana. Um mês de luta e de lição de cidadania – que, infelizmente, não repercute no coração e na mente do governador truculento.

E agora, o que o governador Zé Pedro Taques e seu primo o cada vez mais notório advogado dos poderosos Paulo Taques, e também o especialista dos especialistas Marco Marafon, vão dizer em casa? A especialidade deles, que eles próprios julgam extraordinária, está virando pó.

De repente, as decisões dos desembargadores Alberto Ferreira, Pedro Sakamoto e Serly Marcondes perderam importante, no seu alinhamento automático com o poder tucano. Agora, só se fala na decisão do Juvenal. Sim, nesta terça-feira, o desembargador Juvenal fez História.

1 Comentário

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 201.3.38.139 - Responder

    Parabenizo esse nobre servidor público, pela sua coragem de enfrentar o governo que insiste em desrespeitar direitos garantidos pela CF/88 que é o amparo da classe trabalhadora brasileira.

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

2 × três =