AGRESSÃO NO SINTEP: Miriam Botelho registra BO contra Guelda Andrade. Discussão entre sindicalistas teve desenlace violento

Guelda e Miriam

Violência de mulher contra mulher. Violência de sindicalista contra sindicalista. A secretária-geral do SINTEP-MT (Sindicado dos Trabalhadores no Ensino Público de Mato Grosso), Miriam Ferreira Botelho, foi agredida no dia 28 de setembro, na sede da entidade, localizada no Bairro Bandeirantes, em Cuiabá. O fato, que vinha sendo abafado pelos sindicalistas, veio a luz graças a divulgação do site Biorosário, de Rosário Oeste, que é o município onde Miriam reside e onde já chegou a ser candidata a Prefeita.

De acordo com Miriam, a agressão que sofreu partiu da diretora de políticas educacionais do Sintep/MT, Guelda Cristina de Oliveira Andrade, que é esposa do ex-presidente da entidade e candidato a deputado estadual pelo PT em 2018, Henrique Lopes. Guelda também é dirigente da CUT – Central Única dos Trabalhadores, em Mato Grosso.

O ataque ocorreu nas dependências da sede do Sintep, em Cuiabá, após as naturais discordâncias de encaminhamentos entre as diretoras, que participavam do Conselho de Representantes do SINTEP-MT, realizado nos dias 28 e 29 de setembro.

Miriam Botelho afirma que, ao solicitar informações à sua companheira sindicalista Guelda Andrade acerca do Congresso Estadual do Sindicato, programado para ser realizado entre os dias 28 e 30 de novembro, e no qual elas são responsáveis pela organização, não foi atendida e insistiu no questionamento. “Diante disso, a senhora Guelda manteve posturas rudes e grosseiras, desferindo contra mim palavras de baixo calão e outras ofensas contra a minha pessoa”, relata Botelho.

Ao retirar-se do recinto, Miriam foi violentamente golpeada pelas costas e, ao virar-se, recebeu um brutal soco em um dos olhos, quebrando os óculos que usava, o que provocou seu desequilíbrio e, consequentemente, a queda. Imobilizada, recebeu ainda sucessivos puxões de cabelo e pancadas na cabeça, que resultaram em graves lesões na face da agredida.

Boletins de ocorrência foram registrados por Miriam Botelho contra a agressora Guelda Andrade, que constataram “que as lesões são compatíveis com o histórico narrado”.

Em tempo: os fatos contidos neste relato foram registrados com nitidez pelas câmeras de vígilância do Sintep/MT e disponibilizados através do You Tube. O vídeo também foi disponibilizado na reportagem do Biorosário.

VEJA O VÍDEO QUE DOCUMENTA A AGRESSÃO DIVULGADO PELO SITE BIOROSÁRIO

 

CONFIRA O QUE O SITE BIOROSÁRIO DIVULGOU: https://www.biorosario.com.br/2019/11/diretora-do-sintep-sofre-agressao-e.html

 

Sintep forma Comissão de Sindicância para apurar denuncia de agressão de Guelda Andrade contra Miriam Botelho

Sobre os fatos de agressão física envolvendo as diretoras Miriam Ferreira Botelho e Guelda Cristina de Oliveira Andrade, o Sintep/MT esclarece:
Que tomou ciência dos fatos no mesmo dia do ocorrido e tem conhecimento que a situação está sendo tratada no campo jurídico e criminal;
Que realizou, no dia do fato, reunião de emergência para tratar preliminarmente os fatos, ocasião em que foi dada a oportunidade de manifestações das envolvidas;
Que esta entidade lamenta o ocorrido e repudia qualquer ato de violência, seja física ou psicológica ou qualquer situação de intolerância, assédio moral e/ou qualquer situação que atente contra vida e a dignidade da pessoa humana;
Informamos que o Sintep-MT constituiu Comissão Específica para tratar a questão e que serem tratadas a luz de suas disposições estatutárias.


Cuiabá, 01 de novembro de 2019.
Direção do Sintep/MT Livre, democrático e de luta.

Sem comentários. Seja o primeiro a comentar

Assinar feed dos Comentários

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

doze − 8 =