SHOPPING POPULAR - DOMINGO

AGER ESTÁ SUCATEADA: Tratados com descaso e desconsideração pelo governador tucano Zé Pedro Taques, trabalhadores da Ager podem fazer paralisação. LEIA NOTA PUBLICA


Os servidores da Agência de Regulação dos Serviços Públicos Delegados do Estado de Mato Grosso (AGER) formam mais um grupo de trabalhadores insatisfeitos com o atendimento que vem recebendo do atual Governo do Estado, comandado pelo governador Zé Pedro Taques (PSDB). O descaso é tanto que os servidores – a exemplo de outras categorias como a dos peritos criminais, dos servidores do Detran e os dagentes penitenciários – já falam em paralisação e em greve contra o arrocho que vem sofrendo. E o governo de Zé Pedro Taques segue se desdobrando de crise em crise. A cada dia, uma nova agonia.

Sob o comando do sindicalista James Jaudy, os analistas que se articulam em torno da Associação dos Servidores Efetivos da Agência de Regulação dos Serviços Públicos Delegados do Estado de Mato Grosso exigem ações de reestruturação da Ager que envolvem a imediata realização de concurso público, a construção de uma sede própria, isonomia financeira e administrativa, aproximação com outros entes federados e o ajuste da carreira.

O governador Zé Pedro Taques está sabendo que, caso os analistas paralisem as atividades de fiscalização ficam prejudicados os serviços públicos concedidos como transporte intermunicipal de passageiros, rodovias pedagiadas, saneamento (nos municípios conveniados), dos serviços de distribuição e geração de energia elétrica, terminais rodoviários homologados pelo Estado, travessias de balsas, além dos novos serviços como o Ganha Tempo.

Em nota, James Jaudy informa que os analistas da Ager chegaram a dar um voto de confiança a Zé Pedro, depois de reunião que o governador teve com a categoria, em janeiro de 2017, mas “transcorrido quase 01 (um) ano, constata-se que absolutamente nada ocorreu. E, para agravar, o próprio Governo busca através de PPP’s (Parceria PúblicoPrivadas), novos contratos de concessões de rodovias, construção de Ganha-Tempo, Centro de Convivência de Servidor, VLT (Veículo Leve sobre Trilhos), Arena Pantanal, etc. Inclusive, em 2017, por iniciativa da própria AGER foi celebrado convênios com 02 (dois) municípios para a regulação e fiscalização do saneamento, sendo que estes convênios propiciaram uma melhoria dos serviços para a população local.  Ou seja, enquanto os serviços na AGER aumentam significativamente, o número de seus servidores diminui drasticamente”.

No destaque desta PAGINA DO E você confere, na íntegra, a nota divulgada pela Asager.

Nota Pública da ASAGER- Servidores Podem Parar Em MT Contra Descaso de Zé Pedro Taques by Enock Cavalcanti on Scribd

Sem comentários. Seja o primeiro a comentar

Assinar feed dos Comentários

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

10 + cinco =