gonçalves cordeiro

ADVOGADO RENATO GOMES NERY: Já se apossaram do dinheiro de empresas e do Estado Brasileiro. Já tomaram o dinheiro das partes de depósitos judiciais. Não tenha dúvida que já existe um plano de avançar no seu rico dinheirinho poupado a duras penas, nas cadernetas de poupanças, nos fundos de pensões e nos investimentos de uma forma geral.Não duvide que esta história se repita, não em forma de farsa, mas de renovado pesadelo.

  Renato Gomes Nery

Renato Gomes Nery

O SEQUESTRO DA POUPANÇA

Por Renato Gomes Nery

 

 

Navegamos em águas turvas e profundas de há muito tempo. Entretanto, ultimamente os diques das barragens de Mariana que ainda continham os últimos rejeitos esgotou de vez. E agora a lama das barragens chegou ao oceano, onde o Brasil está afogando com perspectivas de salvação incertas. Lançou-se mãos de todos os recursos possíveis, mas a lama teimou e se adentra mar adentro. Em crise bem menos intensa e sem a gravidade destas que ora nos assolam, na década de 1950, se cunhou o termo “mar de lama” para uma crise politico/institucional entre a UDN, PSD e o PTB de Getúlio Vargas. E ora temos não somente um mar concreto de lama, mas vários outros mares que assolam severamente a vida nacional.

Crise política. Crise institucional. Crise econômica. Crise ética. Crise moral. A inflação que nos assombra. Enfim o Brasil naufraga a olhos vistos. Solução? Aumento de impostos!! O dinheiro que poderia nos salvar foi vítima de gestão temerária e surrupiado puro e simplesmente dos cofres públicos. Um Ministro do STF já falou e repetiu que estamos sendo vítimas de ladrões e que já têm dinheiro para ganhar eleições até 2038. E que o Governo do Brasil é uma cleptocracia. Traduzindo. Governo de ladrões. E ninguém contestou.

E o pari gato continua. Aperta daqui. Empurra dali. E a solução não vem. Não vem por que o Governo tem a idéia fixa de que somente sairemos da crise com aumento de impostos. Já aumentou os impostos que pode aumentar e quer passar no Congresso a CPMF a fórceps. E quanto mais o preço do barril de petróleo baixa no mercado mundial mais sobe o combustível no País. O dólar nos assombra todos. Valia R$ 2,50 em fevereiro/15, alçou acima de R$ 4,00 em setembro/15. E de lá não quer sair. Tomando como padrão o dólar tudo no Brasil naquele período subiu acima de 50%. A inflação de dois dígitos assombrou a classe C e a levou de volta para a classe E e F. E lá elas chafurdam na miséria.

Os Governos Estaduais já ultrapassaram os limites da Lei de Responsabilidade Fiscal e não tendo onde buscar dinheiro se apropriaram de grande parte dos depósitos judiciais que não lhes pertentem. Só que ninguém disse como esta montanha de dinheiro será devolvida, quando encerrar a ação e dos donos do dinheiro for recebê-lo.

Como se vê, a máxima “os fins justifica os meios” já foi posta em prática, pois se justifica até roubar, expropriar, assaltar os cofres públicos para se manter no poder em nome de uma revolução que nos levará ao paraíso. As lições trágicas do passado nesta mesma linha foram esquecidas. Leia-se “queda do muro de Berlim”.

Já se apossaram do dinheiro de empresas e do Estado Brasileiro. Já tomaram o dinheiro das partes de depósitos judiciais. Não tenha dúvida que já existe um plano de avançar no seu rico dinheirinho poupado a duras penas, nas cadernetas de poupanças, nos fundos de pensões e nos investimentos de uma forma geral. Temos penosa memória neste sentido. De repente convenceu-se a todos a entregar as suas joias e até dentes de ouro para as mãos impuras dos Governantes de plantão. Do dia para a noite se acordou pobre, pois o dinheiro foi bloqueado e surrupiado pelo Governo em nome da salvação do País. Lembre deste bordão: somente temos uma bala na agulha do revólver. É matar ou matar. Para manter-se no poder se vende, sem qualquer escrúpulo, a alma para o capeta. Não duvide que esta história se repita, não em forma de farsa, mas de renovado pesadelo. Que Deus nos proteja.

Renato Gomes Nery é advogado em Cuiabá – E mail – rgnery@terra.com.br

Sem comentários. Seja o primeiro a comentar

Assinar feed dos Comentários

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

sete − 4 =

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.