PREFEITURA SANEAMENTO

ADVOGADO RENATO GOMES NERY: Como todos os nossos políticos não resistem ao culto de suas personalidades, o atual presidente que era contra este culto indigesto, parece que se rendeu aos áulicos e já estaria autorizando a sua entronização nos altares das repartição públicas federais por este Brasil de meu Deus. Perde-se, nestes tempos bicudos, a oportunidade de economizar uma boa grana

Renato Nery, advogado

Renato Nery, advogado

CULTO À PERSONALIDADE
Por Renato Gomes Nery

O culto de personalidade ou culto à personalidade é uma estratégia de propaganda política baseada na exaltação das virtudes – reais e/ou supostas – do governante, bem como da divulgação positivista de sua figura. Cultos de personalidade são frequentemente encontrados em ditaduras, embora também existam em democracias…….

Um culto da personalidade é semelhante a apoteose, exceto que ele é criado especificamente para os líderes políticos. O culto também pode aparecer como um culto a masculinidade artificial característico de lideranças políticas.
O culto inclui cartazes gigantescos com a imagem do líder, sua constante bajulação por parte de meios de comunicação e muitas vezes perseguição aos dissidentes. Além de Stalin, pode-se dizer de outros ditadores, anteriores ao discurso de Khrushchov, como Adolf Hitler, Benito Mussolini, Mao Tsé-Tung tomaram medidas que levaram ao culto de sua personalidade, assim como Saddam Hussein, Nicolae Ceauşescu, Rafael Trujillo, Kim Il-sung e Kim Jong-il.(Wikipédia – Internet).

Aqui no Brasil o culto à personalidade foi usado à exaustão no Estado Novo, por Getúlio Vargas, o suposto pai de todos. O que ficou deste culto hoje. Ao entrar-se em qualquer repartição pública depara-se com a fotografia entronizada dos nossos mandatários de plantão. Se for repartição federal o retrato com pose e pompa é do Presidente da República. Se for estadual do Governador do Estado. Se for municipal do Prefeito.

Tudo isto para demonstrar a vaidade de quem manda e a quem devemos obediência. Depois do término do mandato, trocam-se os mandatários e as fotografias. Já imaginou o quanto se gasta em fotografias para lembrar e para venerar os mandatários de plantão em todos os rincões deste Brasil? Tudo isto mais parece feitiço. Deveria se colocar junto farofa, cachaça , bode, galinha presta e a ai o despacho estaria completo.

Como todos os nossos políticos não resistem ao culto de suas personalidades, o atual Presidente que era contra a este culto indigesto, parece que se rendeu aos áulicos e já estaria autorizando a sua entronização nos altares das repartição públicas federais por este Brasil de meu Deus. Perde-se, nestes tempos bicudos, a oportunidade de economizar uma boa grana. E, também, a chance de se deixar no passado o que é do passado e deveria ser esquecido. Bem como de reafirmar que o Brasil é uma República Democrática, com provas soberbas desta condição.

Tudo isto é prova de que pouco se pode fazer contra a vaidade humana que, mesmos em tempos republicanos e democráticos, insistem com práticas ditatoriais. Existe um projeto (PLS 244/2014) do Deputado Ricardo Ferraço/RS, em tramitação na Câmara do Deputados, que considera improbidade administrativa a exposição de efigie de autoridades públicas em órgãos públicos que certamente não irá para frente.

Renato Gomes Nery é advogado em Cuiabá – E-mail – rgnery@terra.com.br

Sem comentários. Seja o primeiro a comentar

Assinar feed dos Comentários

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

vinte − 19 =