gonçalves cordeiro

Vandoni faz votos que Fabris se encontre com Arcanjo na prisão

ADRIANA VANDONI – “Espero, sinceramente, que um dia o ex-suplente de deputado (Gilmar Fabris) e todos os que com o bicheiro (Arcanjo) conviveram e operaram, estreitem suas relações. Lá no presídio de segurança máxima de MS”

Uma grande “perca” para Mato Grosso
por ADRIANA VANDONI

http://prosaepolitica.com.br/2012/04/04/uma-grande-%E2%80%9Cperca%E2%80%9D-para-mato-grosso/#more-38709

Ontem o Tribunal Regional de Mato Grosso cassou, por 4 votos a 2, o mandato do suplente de deputado (que estava ocupando uma cadeira) Gilmar Fabris (PSB). Acusação: compra de votos.

Recentemente Fabris precisou ocupar uma cadeira na Assembléia às pressas, pois havia sido pego numa operação que desarticulou um esquema que fraudava e desviava dinheiro através de cartas de crédito, e ele precisava urgentemente da imunidade parlamentar. Mas a carreira de Gilmar Fabris tem outros momentos que considero de glória. Quando as urnas ainda eram manuais, a PF encontrou em sua fazenda justamente a urna que lhe tiraria a vitória. Ele alegou que era uma ‘lembrança’.  Nessa mesma época, quando o bicheiro ‘comendador’ Arcanjo estava sendo procurado pela polícia, Fabris, que operava nas factorings do bicheiro, deu uma declaração dizendo que “todo mundo aqui convivia com ele [o bicheiro]”.

Eu nunca convivi com o bicheiro e conheço muita gente que também não conviveu. Mas espero, sinceramente, que um dia o ex-suplente de deputado e todos os que com o bicheiro conviveram e operaram, estreitem suas relações. Lá no presídio de segurança máxima de Mato Grosso do Sul.

Só pra terminar. Votaram pela cassação de Gilmar Fabris: Pela cassação: o relator Pedro Francisco, André Pozetti, Jorge Luiz Tadeu Rodrigues e Samuel Dalia Junior. E pela absolvição: juiz Sebastião de Arruda Almeida e…e…e…o desembargador José Ferreira Leite.

É, foi uma grande “perca”!!!

FONTE PROSA E POLÍTICA

——————

outro lado

Fabris recorre contra cassação; ‘Sou deputado até transitar em julgado’

http://www.olhardireto.com.br/noticias/exibir.asp?noticia=Fabris_recorre_contra_cassacao_Sou_deputado_ate_transitar_em_julgado&id=247894

A defesa do suplente de deputado estadual Gilmar Fabris (PSD) vai impetrar recurso no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) contra a decisão colegiada tomada na noite da última terça-feira (03) pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE) cassando seu diploma de membro do Legislativo mato-grossense.

Paralelamente , o advogado Lucien Pavoni também pedirá medida cautelar para a cassação do diploma do socialdemocrata só ter efeito após a decisão do TSE sobre o recurso.

“Eu sou deputado até o dia em que o processo transitar em julgado”, exclamou Fabris em entrevista por telefone ao Olhar Direto na manhã desta quarta-feira (04) ao ser questionado sobre a medida judicial a ser tomada por Pavoni quando o acórdão for publicado e quanto ao seu futuro como parlamentar.

Fabris teve o mandato cassado por quatro votos a dois no Pleno do TRE por abuso de poder econômico durante a campanha de 2010, evidenciado por gastos não declarados em suas contas eleitorais, falhas consideradas gravíssimas.

As perspectivas de Fabris na Assembléia Legislativa (AL) se comprometem ainda mais com a cassação do diploma porque já se complicavam com a saída do PSD dos cargos que ocupava no governo estadual – manobra política que teoricamente provoca a saída automática de Fabris, suplente, da cadeira a ser ocupada agora pelo colega de partido José Domingos Fraga, que entregou o comando da Secretaria de Desenvolvimento Rural e Agricultura Familiar (Sedraf).

“É claro que recebi com tristeza a decisão, não podia ser diferente. Mas, na mesma noite, o Blairo foi absolvido por 5 a 1. Ele teve um pouquinho a mais de sorte que eu. Fazer o quê? Vou a Brasília”, resumiu Fabris.

O suplente de deputado procurou se mostrar tranquilo em relação ao mandato mencionando que sequer precisaria de advogado na Justiça Eleitoral de tão “bem fundamentados” que foram os votos dos magistrados José Ferreira Leite e Sebastião Arruda. “Os votos deles falam por mim”.

O desembargador José Ferreira Leite havia pedido vistas do processo de Fabris na semana passada, postergando a decisão colegiada. Ele acabou votando pela absolvição do suplente de deputado, acompanhando o voto do juiz Sebastião Arruda.

fonte OLHAR DIRETO

Categorias:Jogo do Poder

Sem comentários. Seja o primeiro a comentar

Assinar feed dos Comentários

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

3 × 2 =

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.