Ademir Brunetto agora quer investigar pagamento de precatórios. Governo Silval pode estar favorecendo grandes credores

“Falta cumprimento daquilo que foi pactuado com a sociedade, falta pagamento de emendas parlamentares, falta pagamento das OSS, poderia elencar uma dezena de fatores que mostram que o governo vai muito mal. Como deputado tenho o dever e a obrigação de cobrar e exigir algumas condutas e explicações” - disse Brunetto, num alerta ao governador Silval Barbosa

CRÍTICAS AO GOVERNO

Petista quer investigar pagamento de precatórios
Priscilla Silva

A quitação dos precatórios que está sendo realizada pelo Governo do Estado foi criticada pelo deputado Ademir Brunetto (PT), durante sessão na Assembleia Legislativa, nesta semana. Os pagamentos estão sendo feitos por meio de mutirões, neste mês a expectativa é que se pague mais de R$ 1,3 bilhão. Para o petista, o governo deveria se atentar para a quitação de outras dívidas.

“Falta cumprimento daquilo que foi pactuado com a sociedade, falta pagamento de emendas parlamentares, falta pagamento das OSS, poderia elencar uma dezena de fatores que mostram que o governo vai muito mal. Como deputado tenho o dever e a obrigação de cobrar e exigir algumas condutas e explicações”, frisou.

Durante a sessão Brunetto também falou do certificado que o Governo Estadual e o desembargador, Rubens de Oliveira Santos Filho, receberam da então corregedora nacional de Justiça, Eliana Calmon, em Brasília no último dia 30. Após a ação conjunta, Mato Grosso será o primeiro Estado a quitar as dívidas oriundas de precatórios.

“O que me chamou muita atenção no pagamento de precatórios, anunciados como uma grande conquista do Governo do Estado, que estaria recebendo um prêmio inclusive do CNJ [Conselho Nacional de Justiça], por ser o primeiro Estado da Federação que liquidou os precatórios e ai o questionamento se acelerou não só do deputado Bruneto e de outros parlamentares, o porquê do pagamento de grandes credores e não pagar diária para servidores, não pagar OSS, não honrar os pequenos compromissos e os pequenos fornecedores. Diante de todos os problemas decidimos dar um basta e acender a luz no vermelho, porque nessas condições o Estado vai implodir”, criticou Brunetto.

Com este questionamento, o legislador levanta dúvidas com relação à origem e destino do dinheiro para o pagamento dos precatórios. Para saná-las, Brunetto protocolou um requerimento, como ele mesmo cita.

“Protocolei um requerimento para saber quais foram os precatórios que foram pagos, os valores que foram pagos, quem foi beneficiado, porque nesse mato tem coelho,” afirmou.

Por lei, o Estado deve reservar para os precatórios 1,5% da receita líquida corrente e os municípios 1%.

 

fonte MATO GROSSO NOTICIAS

Sem comentários. Seja o primeiro a comentar

Assinar feed dos Comentários

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

19 − um =