Ademar Adams, da Ong Moral, diz estranhar a demora do Ministério Público Federal nas investigações de fraudes na OAB pois as provas que acompanharam a denúncia são muito claras. “Não sei por que o MP ainda cumpriu o seu papel neste caso”.

Ademar Adams, da Ong Moral, fala sobre eleição na Ordem

“A Ordem dos Advogados é uma entidade tão importante para a sociedade, que as questões que a envolvem devem ser acompanhadas por toda a sociedade”, afirma Ademar Adams

Mesmo não sendo advogado, o jornalista Ademar Adams falou sobre a eleição na OAB de Mato Grosso. “A Ordem dos Advogados é uma entidade tão importante para a sociedade, que as questões que a envolvem devem ser acompanhadas por toda a sociedade”, afirma.

Segundo Adams, que é presidente da Ong Moral, a continuidade de um mesmo grupo comandando a Ordem, que vem desde Rubens de Oliveira, passando do Ussiel Tavares, Faiad e Cláudio Stabile, não é salutar para a democracia num regime republicano. Lembra, porém, que na gestão de Faiad a sociedade civil organizada era bem recebida na OAB/MT, a ponto de o MCCE e a Ong Moral, ocuparem espaço no prédio dela para suas reuniões e encontros.

“Assim que o Dr. Cláudio Stábile assumiu fomos expulsos da OAB, pois, exigiram um valor absurdo que teríamos de pagar para continuar lá”, diz Ademar. Segundo ele, teria sido a mando do deputado Riva, que negociara seu apoio à chapa, condicionando-o à saída das entidades sociais do prédio. “Não sei o Maurício Aude iria rever esta posição autoritária da atual diretoria, na qual ele é vice.”

Sobre as denúncias envolvendo dirigentes da OAB/MT, o jornalista diz estranhar a demora do Ministério Público Federal nas investigações, pois, as provas que acompanharam a denúncia, são muito claras. “Não sei por que o MP ainda cumpriu o seu papel neste caso”.

Nas eleições da OAB este ano, Ademar diz que estava torcendo pela advogada Luciana Serafim e ficou decepcionado coma retirada da candidatura dela em favor de José Moreno. “Pessoalmente não tenho nada contra o Moreno, mas não vejo nele uma liderança para ocupar o cargo. Quais as atividades deste rapaz na sociedade mato-grossense, para credencia-lo?”

Ademar diz também que foi colega de ambos os candidatos, quando cursou Direito na Unic, e afirma que vê como positivo o fato de que depois desta eleição, a Ordem ser comandada por uma nova geração. “O que questiono, é se terão independência para renovar a entidade, trazendo-a para se colocar ao lado da sociedade em assuntos de grande relevância, como o combate à corrupção, por exemplo.”

1 Comentário

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 189.123.132.57 - Responder

    A demora é porque se forem fazer isso acabam se comprometendo tambem. É a historia do sujo falando do mal lavado.

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

2 + 3 =