José Serra perdeu por não ouvir Antero

Antero Paes de Barros, que já foi ícone no PSDB de Mato Grosso, agora se afasta do partido para fugir de possivel processo de expulsão

No Centro de Eventos do Pantanal, em meio às comemorações pela vitória de Mauro e Virginia Mendes na disputa pela Prefeitura de Cuiabá, contra Lúdio e Ana Regina Cabral, Antero Paes de Barros contou que deu um conselho ao seu amigo José Serra.

– Estive com ele em São Paulo, no inicio do ano, e o aconselhei a não se candidatar. Achava que seria melhor para ele se guardar para um novo momento da conjuntura política que certamente virá. Infelizmente, ele não teve a mesma avaliação que eu.

Antero, que já foi um dos grandes da política em Mato Grosso, ao lado de Dante de Oliveira, hoje também passa por constrangimentos em Mato Grosso, como o de ter que se afastar do PSDB, que durante tanto tempo ele incorporou, dada a ameaça de expulsão que diz ter sofrido recentemente, ao resolver trabalhar como marqueteiro de Mauro Mendes (PSB), em Cuiabá. Mas passo a palavra a Laíse Lucatelli que ela conta esta história melhor que eu. (EC)

Após campanha de “inimigo”, Antero de Barros deixa PSDB
Ex-senador se diz chateado com direção do partido em Mato Grosso

LAÍSE LUCATELLI
DO MIDIA NEWS

O ex-senador Antero Paes de Barros, um dos mais representativos líderes do PSDB em Mato Grosso, deixou o partido há cerca de 20 dias.

Chateado, o ex-tucano disse que se viu obrigado a deixar a sigla, para não sofrer um processo de expulsão, em função da sua participação na campanha de Mauro Mendes (PSB) à Prefeitura de Cuiabá.

“Me desfiliei do PSDB a contragosto. Achei que o partido foi injusto comigo, pois criaram uma resolução só para me atingir, quando eles souberam que eu tinha acertado profissionalmente com o Mauro Mendes”, disse Antero, que atuou no marketing de Mendes no segundo turno.

“Depois que eles perceberam que eu havia acertado com o Mauro, baixaram uma resolução dizendo que quem fosse trabalhar na campanha dele ou do Lúdio seria expulso do partido. Eu não vou me submeter ao processo de expulsão, então decidi sair”, relatou.

Antero ressaltou que não tem outras fontes de renda, e precisa de seu trabalho como advogado, jornalista e marqueteiro para se sustentar. “Eu não tenho carteira assinada, não sou aposentado, não recebo FAP (Fundo de Assistência Parlamentar). Se eu não trabalhar, eu não tenho condições de viver. Eu vivo daquilo que eu produzo”, afirmou.

Ele se disse chateado com o presidente regional da sigla, Nilson Leitão, por conta da resolução que proibiu os tucanos de apoiarem os dois candidatos que disputaram o segundo turno em Cuiabá.

“Eu fiz mais pelo PSDB do que todos eles juntos. Mas não estou magoado. Estou chateado. Foi uma manobra da direção do partido, que é do Nilson Leitão. E eu o ajudei muito. Ele foi deputado estadual com meu apoio, se elegeu prefeito de Sinop com meu apoio”, disse.

Outro lado

Nilson Leitão, por sua vez, negou que a resolução tivesse o intuito de atingir Antero.

“Isso não é verdade. O José Antônio Rosa, por exemplo, também foi contratado pelo Mauro Mendes, como assessor jurídico, e continua no PSDB. Antero foi contratado por ele como profissional, o que é muito diferente de militar. A resolução proibia o apoio político, não profissional”, afirmou o tucano.

“A decisão do Antero de sair do PSDB foi uma decisão pessoal. Na verdade, desde o pós-eleição de 2010, ele já se afastou do partido. Foi trabalhar com o Dorileo Leal (PMDB), que era pré-candidato à prefeitura, e em 2012 exerceu o papel de marqueteiro para vários partidos”, disse.

Leitão ressaltou que Antero é muito respeitado dentro do PSDB, independente de continuar na sigla. “O PSDB respeita a história dele, a coragem de encarar eleições dificílimas. Ele sempre será lembrado como um militante aguerrido e ousado. Eu tenho o maior respeito pelo Antero”, afirmou.

2 Comentários

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 200.17.60.247 - Responder

    Diferente de outros políticos conhecidos desse Estado de coronéis, que acunulam aposentadorias as custas da falência previdenciária da União, Antero foi muito autêntico em dizer que precisa trabalhar para sobreviver, mostrando assim, ao contrário de tantos outros políticos locais, que não fez fortuna se usando da política… De mais a mais, o PSDB está falido em todo Brasil… Perderam o poder em vários cantos do paísl e também o poder maior, que é a presidência da república. Ganhou uma grana honesta de Mauro Mendes por um serviço prestado e assim a vida segue… e o Wilson Santos? de que está vivendo? só pra saber…

    • - IP 200.198.213.212 - Responder

      Altos e baixos na política não é novidade para ninguém. Vitórias e derrotas em eleições são experiências vivenciadas por todos que militam na política. Oportunistas de plantão é o que não falta na experiência partidária. Simplesmente jogar para escanteio um batalhador incansável pelo partido, da importância que sempre foi o Antero, como faz a atual cúpula do PSDB no Estado, com a desculpinha esfarrapada como essa aí, não merece credibilidade. Com certeza, quando precisou do apoio dos companheiros do partido para ser candidato, Nilson Leitão teve o devido apoio. Agora, parece que não tá mais precisando, inclusive renegando a figura histórica de Antero dentro do PSDB. Se tivesse mesmo demonstrado ressentimento com a saída de Antero do PSDB teria se posicionado a respeito, tentando reconciliá-lo com os seus pares. Pelo contrário, nas palavras de Nilson Leitão, é visível que este não esboçou qualquer reação em favor do correligionário de seu partido. Não se pode esquecer que a política é traiçoeira: hoje você está prestigiado, amanhã pode mudar! Além do mais, também não se pode esquecer que embora tenha perdido a eleição na época para governador, quando disputou com Blairo, Antero teve boa votação representando o PSDB. E que também, como senador por Mato Grosso, alçado nesse posto pela votação popular, Antero foi um dos nomes mais atuantes do PSDB no Senado, que engrandeceu o nome do partido. Isso tem que ser considerado, mas parece que estão tentando ignorar tal fato.

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

dois + oito =