Galindo continua mandando no governo de Mauro

Mauro Mendes e Chico Galindo: novo e velho governo são quase a mesma coisa. Pior pra Cuiabá.

A montanha pariu um rato. Quem esperava por profunda renovação, na Prefeitura de Cuiabá, que tente dormir  com um barulho desses: o “novo” governo de Mauro Mendes, em Cuiabá, tem quase que a mesma cara do velho e desacreditado governo do prefeito Chico Galindo – aquele governante que, de tão rejeitado pela população, se borrou todo e fugiu, na hora de disputar a reeleição. Muito reveladora a reportagem de Laíse Lucatelli. Confira. (EC)

Galindo emplaca quatro secretários na gestão de Mendes
Ex-prefeito é considerado aliado do sucessão; ele tentou influenciar na eleição da Mesa da Câmara

LAÍSE LUCATELLI
do MIDIA NEWS

O ex-prefeito Chico Galindo (PTB) continua exercendo influência política na gestão da Capital e conseguiu emplacar quatro secretários na gestão do sucessor, o empresário Mauro Mendes (PSB). Entre eles, seu homem de confiança e sobrinho, o presidente municipal do PTB em Cuiabá, Lamartine Godoy, que assumiu o comando da pasta de Desenvolvimento Urbano.

O partido do ex-prefeito emplacou, também, o suplente de vereador Marcus Fabrício, que acumula o comando de duas pastas – Cultura e Turismo.

A secretária de Gestão de Chico Galindo, Adriana Barbosa, foi mantida no cargo. Outro secretário do Governo petebista que continua é Guilherme Müller, que está à frente da Secretaria de Fazenda.

Müller está nesse cargo desde o governo de Wilson Santos (PSDB) e, apesar de não ser ligado ao PTB, goza da confiança de Galindo e continua no staff por indicação dele.

Os altos índices de rejeição de Chico Galindo o tornaram uma figura indesejada na campanha de Mauro Mendes, na TV e nos bairros.

No entanto, nos bastidores e no meio político, o prefeito entrou de cabeça na campanha e articulou apoios para Mendes, no segundo turno das eleições.

Além disso, no apagar das luzes de seu mandato, o ex-prefeito tomou para si medidas impopulares, evitando, assim, que elas fossem tomadas por Mendes no início de seu Governo, como o aumento da tarifa de ônibus – que subiu de R$ 2,70 para R$ 2,95 no dia 27 de dezembro – e o aumento do IPTU.

No primeiro caso, Galindo disse que sancionou o aumento porque a data-base acordada com as empresas de transporte coletivo para aumentar a passagem é todo mês de dezembro.

No caso do IPTU, no entanto, ele admitiu que elevou a alíquota em 25% a pedido de Mendes. O valor do imposto passou de 0,4% para 0,5% sobre o valor venal do imóvel.

Mesa diretora

A influência de Galindo ficou demonstrada, também, nas articulações para a eleição da Mesa Diretora da Câmara Municipal de Cuiabá.

O petebista conseguiu amarrar o apoio de Mauro Mendes na candidatura de Júlio Pinheiro (PTB) à presidência da Câmara, apesar da rejeição dos vereadores do próprio partido de Mendes ao nome do ex-presidente.

Somente horas antes da eleição, na tentativa de assegurar o voto de Faissal Calil (PSB) e Onofre Junior (PSB), e garantir a vitória da sua base de sustentação na disputa pelo comando da Câmara, foi que Mendes recuou e substituiu Pinheiro por Adilson Levante (PSB) na cabeça-de-chapa.

A tentativa, porém, foi frustrada, e ele acabou perdendo para o grupo oposicionista encabeçado por João Emanuel (PSD).

2 Comentários

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 177.5.234.218 - Responder

    Ainda é cedo ,mas vamos ficar de olho nesse novo governo municipal. Uma coisa é certa , esse galindo vai ser mais um caititú a ocupar vaga na ALMT nas proximas eleições ; e seu passaporte será o POEIRA ZERO que já atraiu fãs na periferia. Ao menos isso.

  2. - IP 187.49.83.66 - Responder

    Enock vc podia ir fundo em um contrato milionário de informática onde um dos donos êh um magnata dono de tv e tem como sócio um careca…Duvida? Então da uma investigada na spazio!!!

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

19 − dois =