PREFEITURA SANEAMENTO

A GAZETA: Empresário Junior Mendonça diz à PF que banco clandestino teria sido usado para comprar sentença no TRE e livrar prefeito de Sinop, Juarez Costa (PMDB), da cassação. Junior diz que sacou R$ 500 mil e levou à casa do falecido advogado Eduardo Jacob. Dinheiro teria sido pago ao desembargador Evandro Stabile que concedeu liminar que salvou o prefeito. LEIA DOCUMENTOS DA OPERAÇÃO ARARATH

Operação Ararath – Maggi, Trimec, Piran, Regenold, Seror, Vivaldo, Campos Neto by Enock Cavalcanti

Operação Ararath – Encomind, Tocantins Adv, Bosaipo, Chico Galindo, Mauro Mendes by Enock Cavalcanti

Operação Ararath – Bic Banco, Éder Moraes e Ortolan by Enock Cavalcanti

Operação Ararath – Piran, precatórios, Andrade Gutierrez, Encomind by Enock Cavalcanti

Operação Ararath – Denúncia contra Éder, Laura, Vivaldo e Cuziol by Enock Cavalcanti

Operação Ararath – Busca e apreensão Alencar Soares e Sérgio Ricardo by Enock Cavalcanti

Operação Ararath – Busca e apreensão Junior Mendonça by Enock Cavalcanti

Juarez Costa, prefeito de Sinop, Mato Grosso

Juarez Costa, prefeito de Sinop, Mato Grosso

MAIS UM

Mendonça diz que Costa comprou decisão

Gláucio Nogueira, editor do Gazeta Digital

O esquema operado pelo empresário Gércio Marcelino Mendonça Júnior, o Júnior Mendonça, e pelo ex-secretário Eder Moraes Dias foi usado para comprar uma decisão favorável ao prefeito de Sinop (500 km ao norte da Capital), Juarez Costa (PMDB), que respondia no Tribunal Eleitoral de Mato Grosso (TRE/MT) a processo de cassação.

A afirmação foi feita pelo próprio empresário, colaborador premiado da operação Ararath. O episódio é registrado em planilhas apreendidas na casa de Mendonça que fazem parte dos 10 inquéritos para apurar o esquema.

A compra da decisão favorável teria custado R$ 500 mil, segundo depoimento de Mendonça. O valor foi pago ao então presidente do TRE, Evandro Stábile, que deferiu a liminar e o manteve no cargo. Conforme o empresário, a decisão de pagar para que Costa permanecesse no cargo partiu do próprio governador Silval Barbosa (PMDB), preocupado com a perda de poder no interior de Mato Grosso.

Mendonça recebeu estas informações do ex-membro do Pleno do TRE, Eduardo Jacob, já falecido. Ele teria dito ao empresário que Juarez estava temeroso em trazer, de Sinop para Cuiabá. Mendonça então sacou o dinheiro e levou até a casa de Jacob, recebendo um cheque datado para 60 dias com juros de 3%. O cheque teria sido resgatado, dias depois, com o pagamento em espécie.

O empresário justificou o empréstimo dizendo que, conforme a conversa com Jacob, Silval seria o garantidor da transação.

Outro lado – A reportagem tentou contato com o prefeito Juarez, mas até o momento não obteve sucesso.
FONTE A GAZETA

3 Comentários

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 200.103.7.99 - Responder

    CADÊ OS COMENTARISTAS…??? KKKKK
    VAGABUNDO PUXAVA CABO NA TVBO ATÉ OUTRO DIA…
    COMPRANDO VAGA DE OUTRO VAGABUNDO ASSOCIADO AOS CAMPOS LADRÕES POR 4 PAUS…
    SERÁ QUE ESSA ASSEMBLEIA DÁ LUCRO…???

  2. - IP 177.203.35.77 - Responder

    Enquanto isso, dona Maria morreu no Pronto Socorro de Cuiabá , por falta de médico………….
    Seu Zé , nào conseguiu a passagem de onibus para vir a Cuiabá ‘tratar da saúde”…………………..

  3. - IP 177.203.21.191 - Responder

    Nessa mesma balada o Prefeito de Alto Paraguai, também conseguiu uma liminar do Evandro e voltou a comandar a Prefeitura de Alto Paraguai, esse prefeito é do PMDB do governador e do prefeito de Sinop, podem investigar que vai aparecer o nome do mesmo e da mesma forma que esse caso, tudo é farinha do mesmo saco.

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

1 × três =